Case | O RH e o uso da internet

motivação no trabalhoO uso da internet no trabalho é um assunto que assombra o Recursos Humanos e, geralmente, o seu uso pessoal se torna um instrumento de distração por parte dos funcionários. Pesquisas feitas nos EUA e no Brasil mostram que 80% dos trabalhadores desperdiçam tempo na web, que deveria ser gasto com produtividade.

Neste cenário, o maior desafio do setor de Recursos Humanos é equilibrar os anseios das gerações Y e Z, sempre ávidas por informações das mais variadas formas. Se por um lado a versatilidade deu a essas pessoas maior mobilidade e flexibilidade com relação à adaptação fácil a novas tecnologias e situações de trabalho, por outro criou em muitos deles uma falta de comprometimento nas relações trabalhistas.

Na contramão de muitas empresas que utilizam táticas de proibição ou bloqueio da internet, a PSafe acredita na liberação total da internet. A gerente de RH da companhia, Juliana Motta, acredita na importância de deixar as pessoas livres para criar um ambiente que respira tecnologia. “Preciso que eles progridam e trabalhem a criatividade. Quando eu começo a proibir, dizendo que ele não pode isso, não pode aquilo, eu perco muitos deles”, diz Juliana.

Esta atitude vai ao encontro com as novas práticas de Recursos Humanos, que olham a organização como um todo e se aliam às diferentes áreas dentro da empresa, para promover ações coerentes e benéficas para os funcionários e para a organização. Três áreas que andam lado a lado com o RH são TI, Comunicação e a Financeira.

A parceria do RH com o TI se traduz na tecnologia da informação com gestão de pessoas, uma tecnologia da informação humanista, os Recursos Humanos racionais e Recursos Humanos tecnológicos. Como consequência, a área de TI auxilia a área de RH a: economizar tempo; aumentar a produtividade e satisfazer as necessidades do cliente interno.

A junção do RH com a Comunicação se dá na gestão organizacional através do levantamento de demandas de todas as áreas da empresa, avaliando o impacto de determinadas decisões e ações na reputação da organização e no seu relacionamento com os públicos; pela comunicação interna e gestão dos relacionamentos, que ao gerenciar fluxos e incentivar espaços mais democráticos, apoia o RH na geração de oportunidades de interação e diálogo da empresa com os seus mais diversos públicos, de forma planejada, sistematizada e monitorada.

E temos, por último o RH aliado ao Financeiro, que na sua atuação principal podemos estabelecer o investimento em pessoas, que são preocupações da área de recursos humanos, mas vistas pelo financeiro como gastos necessários para otimizar o planejamento estratégico e atingir os objetivos financeiros.

O RH da PSafe se esforça para abarcar estas tendências e se posicionar como uma ponte entre a inovação e excelência que a empresa busca, e as pessoas que a compõem. O DNA da empresa, de inovação e comprometimento com o produto faz parte do perfil de cada funcionário e atesta para o sucesso de gestão de RH. Juliana complementa, “não ficamos à mercê de vagas e sim de habilidades e competências. Muitas vezes não temos uma demanda profissional específica, mas talentos orbitam em torno do negócio da empresa, são apresentados por nosso time de colaboradores e contratados mesmo sem ter vaga em aberto”.

No vídeo abaixo, veja uma reportagem sobre o uso da internet e das redes sociais e o efeito na produtividade das equipes.

Olá! Se você gostou do artigo, compartilhe com os amigos por e-mail ou pelas redes sociais. Assim você vai compartilhar conhecimento e ajuda a divulgar o Caminhando Junto. Obrigado!

Treinamento e Desenvolvimento de Liderança. Motivação.