Falha na liderança condena Souza Cruz em R$ 2 milhões

size_590_souzacruzA Souza Cruz, líder no mercado nacional de cigarros, foi condenada em R$ 2 milhões por danos morais coletivos por .

A decisão da é fruto de ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e determina ainda que a empresa adote os princípios constitucionais da ampla defesa, da dignidade da pessoa humana, do direito à informação e da presunção da inocência. Em caso de descumprimento, será aplicada multa de R$ 50 mil por trabalhador prejudicado.

A condenação decorre de um inquérito conduzido pelo MPT em Araraquara, no qual foram reunidas sentenças proferidas em processos individuais de trabalhadores que foram demitidos por justa causa após uma sindicância conduzida pela Souza Cruz.

Motoristas e representantes comerciais da empresa foram acusados de repasse irregular de produtos e notas fiscais. A gerência da empresa resolveu, então, convocá-los para um processo de investigação interna nas dependências de um hotel, em Araraquara.

Ao chegarem ao local, os trabalhadores foram obrigados a entregar celulares particulares e chaves a seguranças não uniformizados. Segundo o depoimento de um deles, os funcionários foram tratados como bandidos. Os gerentes da empresa conduziram a investigação e agiram de forma abusiva, inclusive filmando os depoimentos sem a autorização de todos os empregados. Ao final, os trabalhadores investigados foram dispensados de forma humilhante pela Souza Cruz, sem qualquer direito a defesa.

Diante dos fatos apurados, o MPT acusou o descumprimento de artigos da Constituição Federal. O juiz Sérgio Milito Barea acatou os pedidos do MPT, afirmando que a humilhação e os constrangimentos sofridos pelos empregados são evidentes.

Cabe recurso ao Tribunal Regional do Trabalho de Campinas.

Melhor Empresa para se Trabalhar

A Souza Cruz é presença constante nos processos de premiação das melhores empresas para se trabalhar, tendo uma bela coleção de títulos que .

gr_258949233128762

Mas ela também é considerada uma boa empresa para se trabalhar na .

Então, como uma empresa assim, com uma marca tão valiosa e políticas de RH tão bem definidas comete um erro destes?

Simples. A decisão foi tomada por alguém com autoridade para tanto, mas não com as competências de um líder.

Em todos os casos de , assédios e outros casos paralelos é possível perceber a falha de liderança. Onde prevalece a lei do “manda quem pode, obedece quem tem juízo”.

Uma das características básicas do assédio é haver a relação de poder hierárquico, isto é, do líder para o liderado.

O caso é apenas mais um entre centenas de casos todos os anos. E eles vão continuar crescendo até que haja realmente um investimento no desenvolvimento de líderes e não simplesmente a promoção de cargo.

Neste momento, olhe para sua equipe e pense em como seus líderes estão sendo preparados. Vai querer ser o próximo no banco dos réus?

feed_copa_2014Acompanhe as atualizações assinando o Feed do Caminhando Junto, seguindo pelo Twitter ou cadastrando seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.