Turnover no Sul de Minas é quase o dobro da média estadual

Rotatividade Turnover Absenteísmo RHAnalisando os números do sobre a criação de postos de trabalho em 2013 é possível tirar algumas conclusões bastante interessantes e positivas. Entretanto, o que mais me chamou a atenção é a Taxa de Rotatividade ou Turnover do Sul de Minas chegando aos 60% enquanto a média estadual ficou em 39,56%.

É claro que estas médias servem apenas como ponto de partida para análises mais profundas, pois um levantamento do Café com RH de Pouso Alegre em 2013 com 11 grandes empresas da cidade revelou que apenas três tinham Turnover abaixo de 30% e algumas chegavam a 130%.

Turnover e Absenteísmo

são hoje os dois maiores fantasmas da maioria dos gestores de RH. Por qualquer ângulo estes indicadores revelam prejuízo, baixa produtividade, baixa qualidade do serviço ou produto e consequentemente falta de competitividade e perda de clientes.

Demorou muito para que executivos das áreas de Finanças e  Produção percebessem que seus resultados estão intimamente ligados aos resultados do Recursos Humanos, mas ainda são poucos os casos de enfrentamento onde a responsabilidade é compartilhada por todos os setores. . A responsabilidade por criar um ambiente atrativo para os trabalhadores é de toda empresa, assim como a responsabilidade de encantar o cliente também é de toda a empresa.

Fatores Externos para o Turnover

Principalmente em regiões como o Sul de Minas é preciso olhar com atenção alguns fatores externos:

1 :: Recente Cultura Industrial – O Sul de Minas, assim como grande parte de Minas Gerais, tem uma cultura rural muito forte, com hábitos e conceitos passados de pai para filho. O trabalho ao ar livre, com flexibilidade de horários, um ritmo mais lento e pouca pressão por produtividade faz parte deste roteiro.

Muitas pequenas cidades receberam suas primeiras grandes indústrias nas duas últimas décadas, como o caso de Extrema (MG), que com 30 mil habitantes é o segundo parque industrial de Minas. Esta mudança cultural cria conflitos e vai levar tempo para ser assimilada.

Reduzir o Turnover e Absenteísmo é tarefa da empresa toda2 :: Cidades Polo deixam de ser únicas ofertantes de emprego – Por todo país há exemplos de cidades polo que atraem jovens de cidades menores para estudo e trabalho. Estas pessoas preenchiam as vagas nas indústrias e garantiam a baixa rotatividade, pois para elas tratava-se da grande chance.

Mas nos últimos anos, as empresas estão chegando também nas pequenas cidades e em alguns casos, empresas locais tiveram grande crescimento, oportunizando a chance de trabalho sem que o morador tenha que deixar sua cidade.

3 :: O terceiro fator está ligado ao desenvolvimento geral do Sul de Minas, principalmente a região que chamo de Eixo Fernão Dias, que vai de Atibaia (SP) até Pouso Alegre (MG). Esta região tem registrado índices de crescimento muito acima da média nacional. Se os números confirmarem a expectativa da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, o em 2013!

Mas a cidade não é a única, Itajubá, Poços de Caldas, Varginha, Alfenas, Extrema, Machado e outras cidades da região também mostram um desenvolvimento vigoroso.

Fatores Internos para o Turnover

No meio deste furacão é possível encontrar empresas com índices saudáveis de Turnover e Absenteísmo, por consequência, são empresas que nos últimos anos apresentam crescimento, lucratividade e produtividade crescentes.

2014 não será um ano para amadores! Não espere o Carnaval para começar a trabalhar! Olhe para dentro de sua empresa e faça o que deve ser feito!

Se tiver dúvidas de por onde começar, de uma olhada no .

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.