Treinamento dá resultado?

Treinamento de copeiras gerou economia na empresaComo as copeiras da Itaipu Binacional economizaram 8 mil quilos de açúcar e 2 mil quilos de café em um ano.

O mercado de trabalho exige, cada vez mais, profissionais que estejam preparados para se adaptar às diversas situações do dia a dia de uma empresa e, assim, resolvê-las de forma eficaz e rápida.

não beneficia apenas os colaboradores, mas, também, as empresas que lucram com ações como, por exemplo, a redução de desperdícios.

Uma ação realizada pelas copeiras da Itaipu Binacional resultou, no último ano, na economia de oito mil quilos de açúcar e dois mil quilos de café. A iniciativa é resultado de um trabalho iniciado, após a qualificação recebida pelas profissionais, realizada pela Fundação do Asseio e Conservação do Estado do Paraná (FACOP).

Segundo o Gerente de contratos da empresa, Divan Saraiva da Cruz, após o curso, as copeiras começaram a observar que sobravam café e açúcar em alguns lugares e passaram a colocar somente o necessário diário. “Elas perceberam as sobras e passaram a colocar apenas a quantia utilizada e, em um ano, conseguiram reduzir os gastos, entre café e açúcar, de 36 mil quilos para 28 mil quilos”, conta.

treinar funcionários dá resultado para empresas

“A capacitação amplia a visão e altera a postura profissional. O caso da Itaipu é uma demonstração de um ‘apoderamento’ do que foi ministrado no curso e um profissionalismo com ótima repercussão econômica para a empresa”, afirma a Superintendente Executiva da FACOP, Cássia Almeida. A Fundação não possui fins lucrativos e somente em 2013 capacitou gratuitamente mais de seis mil pessoas.

Após o curso, além da iniciativa tomada pelas colaboradoras, Divan Cruz comenta que as participantes passaram a ter, também, uma visão diferenciada de sua função: “Foi possível perceber que elas começaram a valorizar o trabalho e sentiram-se valorizadas. Houve melhora na autoestima, maior empenho e, consequentemente, otimizaram a qualidade do atendimento”, afirma.

Além da ação de redução, o grupo de mulheres formadas no curso de copeiras sugeriram a adequação dos carrinhos de chá. Segundo Cruz, muitas delas reclamavam de sua altura. Com a iniciativa, um novo modelo foi desenvolvido e passa a ser utilizado a partir desse mês.

“Pequenas mudanças no cotidiano e na ferramenta de trabalho do profissional valoriza as atividades e incentiva a rotina de trabalho, valorizando cada missão dentro da empresa”, finaliza o Gerente.

feed_copa_2014Se você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.