Brasil entre os maiores mercados de automóveis no mundo até 2020

Venda de Carro NovoOs países do BRIC continuarão a dominar os rankings de vendas no futuro. É o que aponta o relatório da KPMG “Mercado varejista global de automóveis” (), que fornece informações, análises e previsões detalhadas a respeito dos principais mercados automotivos até 2020.

“O Brasil, que hoje ocupa a quarta colocação no mercado global, deve manter essa posição até 2020, com algumas oscilações nos próximos dois anos. O país possui um mercado com grande potencial de expansão de consumo, e as montadoras têm enxergado uma ótima oportunidade de investimentos no Brasil, inclusive em novas plantas”, afirma Charles Krieck, sócio-líder da prática de Indústria Automotiva da KPMG no Brasil.

Crescimento na China e Índia

De acordo com o relatório, prevê-se um aumento nas vendas de carros na China em mais de 60% entre agora e 2020, quase duas vezes mais a taxa esperada de crescimento para a Europa Ocidental e quatro vezes mais o crescimento na América do Norte. “De acordo com nossas estimativas, em 2020, quase um em três carros fabricados será vendido na China,” aponta Krieck

A Índia, em especial, terá uma ascensão meteórica com uma taxa de crescimento ao redor de 300% até 2020. Mas é preciso destacar que o país tem um patamar relativamente baixo de apenas 3,6 milhões de vendas de veículos leves em 2013. “A característica mais importante dos mercados chinês e indiano é que essas taxas de crescimento parecem ser razoavelmente sustentáveis no longo prazo,” complementou o executivo.

Produção

Apesar das vendas terem se deslocado para mercados emergentes, o relatório revela que o centro da fabricação de automóveis provavelmente permanecerá nos Estados Unidos, Europa, Japão e Coreia, com três dos quatro novos carros originários desses mercados em 2020.

Novos conceitos

Segundo o levantamento, nos mercados da Europa Ocidental e América do Norte, as concessionárias estão começando a explorar novos conceitos de distribuição em um esforço para colocar o foco no consumidor e revitalizar a imagem do negócio.

Por exemplo, a abordagem de ‘megaloja’ – onde uma ampla gama de diferentes marcas é oferecida em uma única concessionária – tem como objetivo conquistar uma participação maior no mercado ao mesmo tempo em que atende às mais variadas necessidades do consumidor.

As concessionárias de bandeira continuarão a ser criadas, particularmente, em áreas urbanas sofisticadas, para reforçar a percepção da marca como única e .

Também devemos acompanhar o desenvolvimento e consolidação de lojas virtuais. Nesse modelo a relação pessoal com o cliente é reforçada pelo vendedor que leva o consumidor para um test-drive ou entrega o novo carro na casa dele.

“O que estamos percebendo é que as concessionárias de veículos estão tentando inovar suas ofertas ao consumidor, seja criando um processo de vendas mais eficiente ou ,” afirma Krieck. “Em última análise, isso levará a novos conceitos de distribuição e modelos de vendas que devem se espalhar pelo mundo”, conclui o executivo.

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.