Dívidas e o Absenteísmo

colaboradores endividados faltam ao trabalhoSegundo o IPEA 54% das famílias brasileiras estão endividadas. O brasileiro descobriu o consumo e como uma criança eufórica fez uma tremenda lambança com o crédito fácil. Para piorar, este problema tem uma relação íntima com o aumento do absenteísmo nas empresas. Entenda.

A equipe de RH de uma grande empresa em Pouso Alegre – MG, percebeu o aumento das faltas num determinado período, deste começo de ano. De cara a suspeita foi de que algum evento tivesse motivado a busca pelo atestado médico como justificativa para as faltas. Mas uma conversa mais próxima com os colaboradores revelou um quadro bem mais complicado. Endividados com as compras de Natal, utilizavam o recurso do atestado médico para se afastar do trabalho, e, neste período utilizavam um trabalho extra para conseguir saldar a dívida.

Isto é, colocavam em risco sua principal renda na tentativa de organizar a vida financeira. Em alguns dias, turnos inteiros ficavam impedidos de produzir tão grande era o número de faltas.

O caso não foi isolado.

Outra grande empresa de Extrema – MG, que emprega em grande parte mulheres, também percebeu o crescimento do absenteísmo. As trabalhadoras estava buscando serviços de faxina, que rendem em torno de 70 a 90 reais por dia, enquanto justificavam as faltas com atestado médico.

O problema traz algumas reflexões.

1- A facilidade na obtenção dos atestados médicos. É muito fácil enganar o médico e como os exames de investigação não são realizados na hora, o profissional faz uso do afastamento do trabalho para proteger tanto o paciente quanto a si mesmo. O raciocínio é simples, vamos imaginar um trabalhador se queixando de uma forte dor de cabeça ao médico. Não há como provar no momento que ele está mentindo. O médico pode recusar o atestado e depois descobrir que o paciente sofreu um AVC no trabalho. Imagina o tamanho do problema?

O trabalhador sabe disto e faz uso desta ferramenta.

2- O uso de mentira para obter um atestado médico pode trazer sérios problemas ao trabalhador, que vão muito além da demissão por justa causa e chegando ao crime de falsidade ideológica.

3- É preciso a participação atuante dos líderes para descobrir o que há de errado na equipe e decidir qual a melhor intervenção.

No primeiro exemplo, o RH decidiu por buscar ajuda para a orientação financeira dos trabalhadores e contou com um parceiro perito em mediação e arbitragem para renegociar as dívidas. O trabalho elevou o moral da turma, melhorou o clima e reduziu drasticamente o absenteísmo. A segunda empresa, ainda está pensando em como resolver a questão.

E na sua empresa,

Como desenvolver seus líderes

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.