19 Shoppings serão inaugurados em SP até 2014

19 cidades brasileiras vão ganhar seu primeiro shoppingNos próximos dois anos, o Estado de São Paulo deve receber 19 shoppings, de acordo com levantamento da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers). Mais de 150 shoppings estão em operação no Estado, que possui o maior número de empreendimentos desse perfil no País.

Ainda segundo a entidade, a previsão é que o Brasil receba 70 shoppings entre 2013 e 2014. Somente neste ano, 16 cidades brasileiras receberão o primeiro shopping.

A expectativa é que o número de inaugurações no País continue nos próximos anos, assim como o crescimento do setor. “A média de lançamentos nos próximos cinco anos deve ficar em torno de 30 a 40 empreendimentos anualmente. Nossa previsão é que os resultados do segmento também sigam positivos, com alta acima de 10% para o mesmo período”, explica Cesar Garbin, diretor e sócio da 5R Shopping Centers. 

Mesmo com a dificuldade cada vez maior das companhias em encontrar terrenos para o desenvolvimento de projetos, o Estado de São Paulo oferece boas oportunidades. As áreas para implantação de shoppings, que devem ter pelo menos 40 mil m², são cada vez mais raras. “Ainda assim existem muitas cidades mal atendidas, que se constituem como mercados em potencial para os empreendedores”, explica Garbin. 

A 5R Shopping Centers já anunciou nove projetos em apenas dois anos de existência, que somam investimentos de R$ 1,8 bilhão, dos quais dois serão construídos no Estado de São Paulo. “O potencial de consumo dessas regiões é alto, pois em nossos estudos de viabilidade percebemos que apresentam crescimento acima da média, além de alta demanda”, afirma Garbin. A companhia está desenvolvendo o Park Taquaral (em Piracicaba) e o Praça Americana Shopping Center (em Americana), previstos para o segundo semestre de 2014 e o primeiro semestre de 2015, respectivamente.  

Impacto para o Comércio de Rua

Oportunidades à parte com o investimento dos shoppings, surge um grande desafio para administrações municipais e lojistas: o que fazer com o comércio de rua?

Sem cuidado, a tendência é a desvalorização imobiliária, a queda nas vendas, a decadência urbana e o nascimento de “cracolândias”. É preciso se antecipar e fortalecer o empresário para lidar com esta nova realidade, principalmente em cidades que vão receber o seu primeiro shopping.

A , investimento em revitalização de ruas com destaque para as calçadas e paisagismo, e, por fim, o tão falado atendimento de qualidade, são etapas obrigatórias para impedir que estas cidades se degradem.

O crescimento de um setor não deve significar o naufrágio de outro, mas isto não vai acontecer sem trabalho e foco. Os números assustam e fazem brilhar as ideias, agora é colocar mãos à obra.

 

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.