Plano de Saúde | Cresce o uso e os problemas

plano_de_saúde_empresarialFilas de atendimento, salas de espera lotadas, falta de leitos vagos. Esse panorama, comum na saúde pública, já é uma realidade na saúde privada. Um dos motivos para isso é o aumento ao acesso aos planos de saúde. Entre 2006 e 2012 o número de exames solicitados cresceu 29,03% e de consultas, 8,38%.

:: Receba os artigos direto no seu e-mail assinando gratuitamente o Feed. 

É o que informa pesquisa realizada pela consultoria Aon Hewitt Brasil, com dados de 350 mil usuários de planos de saúde de seis grandes cidades brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador e Campinas/SP.

Entre 2006 e 2012, com o , cerca de . Nesse mesmo período, informa o estudo, aumentou em 29,03% o número de exames solicitados por consulta médica realizada. O número de consultas também subiu 8,38% e o de internações,  7,49%.

“O fator principal é o crescimento do número de participantes neste período. Quando tem acesso a plano de saúde, o usuário agenda consultas e faz exames que teria mais dificuldade de fazer pelo SUS, como análises clínicas e de imagem”, explica Humberto Torloni Filho , Vice-Presidente Técnico de Benefícios Globais da Aon Hewitt. Outro ponto que ajuda a sobrecarregar o sistema, segundo o especialista, é a ideia de que um bom médico deve passar muitos exames. “Se o profissional passar poucos exames, o paciente desconfia e, muitas vezes, procura outro especialista”, diz.

A também foi acompanhado pelo aumento do preço dos procedimentos. Entre 2006 e 2012, o valor médio das consultas subiu 42,13%. Para exames, a alta foi de 8,46% e para internações, 47,38%. “Fica a patente que os custos de um plano de saúde precisam ser monitorados de perto, em especial no que diz respeito às internações”, ressalta Torloni.

Segundo Torloni, com o aumento da demanda, torna-se mais preocupante a falta de leitos hospitalares na rede privada. “Crescemos o equivalente a toda a população de Portugal em seis anos e por outro lado houve uma diminuição de mais de 23.000 leitos privados e filantrópicos no Brasil neste período mesmo período, assim a conta não fecha. Investir em novos hospitais e ampliar a capacidade de internação são necessidade básicas para que a saúde suplementar não sofra os males tão conhecidos do sistema público.”   

 feed_canecaSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.

programa de benefíciosQuer melhorar o desempenho de sua equipe? Precisa desenvolver os líderes na sua empresa? Conheça as palestras e workshops dos consultores Adriano Carvalho e André Lodi.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.