Panasonic inaugura fábrica de Extrema

inauguração da Panasonic em ExtremaA primeira unidade da Panasonic no Sul de Minas, a terceira no Brasil, recebeu investimentos de R$ 200 milhões e gerou 400 empregos diretos. A planta foi disputada por 13 cidades brasileiras.

Top Blog :: Seu voto pode ajudar o Caminhando Junto a ser eleito o melhor blog da categoria Comunicação. Clique aqui para votar no Caminhando Junto.

Até agora, só eram produzidos por aqui eletrônicos de menor porte como câmeras fotográficas, televisores, pilhas e baterias. Em Extrema, serão produzidos principalmente refrigeradores, micro-ondas e máquinas de lavar. Em conversa com o gerente de RH, Clóvis Lessa de Oliveira, que também é membro do Clube de RH de Extrema, os primeiros refrigeradores já foram produzidos e com “alto nível de qualidade no trabalho das equipes”.

O objetivo da companhia é atingir 10% de participação no mercado nacional de refrigeradores e lavadoras, por isso a nova fábrica poderá expandir sua capacidade produtiva após o início da operação. “Vai depender da demanda do mercado, estamos otimistas com o crescimento da classe C nos últimos anos. Mas já temos capacidade para produzir 500 mil refrigeradores”, diz Hirotaka Murakami, presidente da Panasonic do Brasil.

A fábrica ocupa uma área de 170 mil m², mas com apenas 47mil m² construídos. A unidade de Extrema faz parte da política Eco Ideas da Panasonic. Durante o processo produtivo, haverá reutilização da água da chuva, reciclagem de materiais descartados e redução na emissão de CO2. “Pretendemos ser a empresa número um em tecnologia verde da indústria de eletrônicos até 2018”, diz Sergei Epof, gerente de produtos de linha branca no Brasil. Em 2018 a gigante japonesa completa seu centenário.

As fábricas verdes parecem fazer sucesso no Brasil, muitas empresas estão investindo em processos ecologicamente corretos com a certeza de que o retorno virá, e será rápido. Além da economia durante a produção (em Extrema, por exemplo, o consumo de água será 30% menor e a economia de energia será de 20%), a sustentabilidade conquista consumidores.

Segundo Renata Assis, gerente de marca da Panasonic, 49% dos consumidores consideram importante haver preocupação ecológica nas empresas e 72% acreditam que o meio-ambiente é mais importante do que a economia.

Ichiu Shinohara, vice presidente executivo da Panasonic mostra parte da linha de produção para o Governador de Minas, Antonio AnastasiaO principal produto da unidade será o refrigerador NR-BB51P, o primeiro da companhia a ser totalmente produzido no Brasil. “A tecnologia é japonesa, mas o projeto foi feito com base no consumidor brasileiro”, diz Epof. Ele já estará à venda no próximo mês e custará de R$ 2.899 a R$3.099. No mercado brasileiro, a Panasonic participa com produtos de maior valor agregado.

Até 2015, serão 36 produtos da linha branca produzidos em Extrema. Por enquanto, serão produzidas apenas 30 mil unidades do NR-BB51P, mas em três anos a Panasonic espera alcançar 500 mil refrigeradores e 300 mil lavadoras, esse também é o prazo máximo que obter retorno integral do investimento.

A Panasonic é líder mundial na fabricação de eletrônicos, no ano passado suas vendas líquidas somaram 7,8 bilhões de ienes.

DSC01100A inauguração contou com a presença de diversas autoridades como o governador de Minas, Antonio Anastasia, contou com a apresentação da Orquestra de Viola de Extrema e teve como ponto alto a cerimônia do Barril de Saquê, onde executivos da empresa e os convidados devem quebrar a tampa de um grande barril. Ao fazer isto, estão desejando prosperidade e sucesso ao empreendimento e também pedindo proteção ao deuses, é uma cerimônia tradicional da cultura japonesa.

Se você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.

Desenvolvimento de Equipes de TrabalhoQuer melhorar o desempenho de sua equipe? Precisa desenvolver os líderes na sua empresa? Conheça as palestras e workshops dos consultores Adriano Carvalho e André Lodi.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.