Pai: o primeiro líder

O pai é o primeiro líderDia dos Pais batendo na porta e não tem como deixar de pensar no papel do Pai como o formador de liderança, não é? Afinal, crescemos com imagens paternas, que foram sendo criadas e fortalecidas ao longo dos tempos, e, todas refletem um momento da liderança: o herói, o guerreiro, o amigo, o visionário, o ditador.

Top Blog :: Seu voto pode ajudar o Caminhando Junto a ser eleito o melhor blog da categoria Comunicação. Clique aqui para votar no Caminhando Junto.

Se há algumas décadas, o pai era o chefe que dava ordens e deveria ser obedecido cegamente, hoje, aprendeu o poder do diálogo, da conversa franca. Enquanto no passado era quase obrigatório o Pai ser um sujeito frio e distante das emoções, pois homem não chorava, agora os Pais estão bem mais próximos de seus sentimentos, choram, riem, acariciam os filhos. Fico muito feliz de ter sido Pai num momento em que já nos era permitido demonstrar afeto, e, tenho certeza de que foram estes momentos de carinho que ajudaram a construir a relação com minha filha, Fahen.

Mas assim como no trabalho, delegar é bem diferente de “delargar”, como costuma dizer meu amigo, Marcos Kraide. É impossível imaginar que uma criança e um adolescente vão tomar decisões corretas por si só, como se por instinto. Não, precisam ser acompanhados, instruídos e muitas vezes corrigidos, e, quando conseguimos fazer isto com respeito, palavras de incentivo e fortalecimento contribuímos para o desenvolvimento de um novo líder.

Se no trabalho sabemos que as recompensas devem ser conquistadas para ter sentido, erramos ao exagerar nos mimos em casa e criamos pequenos tiranos. Enquanto no trabalho nos empenhamos para apontar sempre o objetivo de cada tarefa, em casa, simplesmente cobramos a realização de ações que parecem não ter sentido algum e, esquecemos que as crianças de hoje estão mais inteligentes, críticas e livres do que fomos, questionam por natureza e quando nossas respostas são vazias e forçadas, caímos em descrença.

Erramos ao não permitir que nossos filhos sintam dor. Quando um deles faz aniversário, também presenteamos o outro, mas quando ele for um adulto e, no trabalho, o colega for promovido, como lidará com a decepção? Deus em sua sabedoria, colocou dois adultos para cuidar de uma criança, porque a tarefa é difícil mesmo, mas torna-se um drama quando simplesmente não assumimos nossas responsabilidades.

Muito do que vemos nas manchetes é culpa desta situação permissiva, seja em nossos atos, palavras ou omissões. Ensinamos nossos filhos a arte da malandragem na escola, nos gabamos de como colamos na prova quando éramos crianças. Depois ficamos bravos quando este adolescente se mete em encrenca…

Enfim, o Dia dos Pais é sim um dia para comemorar, abrir presentes e tudo mais, mas é também um dia para pensar em nosso papel de formadores de líderes.

Feliz Dia dos Pais!

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.

Cursos de desenvolvimento de liderançaQuer melhorar o desempenho de sua equipe? Precisa desenvolver os líderes na sua empresa? Conheça as palestras e workshops dos consultores Adriano Carvalho e André Lodi.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.