Diversão anda junto com produtividade?

ambiente_de_trabalho_divertidoAcabei de pesquisar no Google a expressão “ambiente divertido no trabalho” e tive 660 mil respostas. Um número assim pode sugerir então que um ambiente de trabalho sem diversão não é produtivo, certo? Errado. Como sempre digo: a diferença entre o remédio e o veneno é a dose.

É claro que a evolução tecnológica e nas relações de trabalho, leva a uma busca pela qualidade de vida também dentro da empresa. Esta luta é ampla e envolve várias expertises coma a luta pelo acidente zero, pela , pelo engajamento da equipe, pela criação de , etc., etc.

Top Blog :: Seu voto pode ajudar o Caminhando Junto a ser eleito o melhor blog da categoria Comunicação. Clique aqui para votar no Caminhando Junto.

Mas a diferença entre um ambiente divertido e um ambiente descontraído é grande. Acho que o é o maior ícone de empresa onde o ambiente de trabalho é “descolado”, mas engana-se quem acha que a o trabalho lá é diversão, que as pessoas são pagas para jogar videogame ou andar de skate. Os colaboradores tem um ritmo mais flexível, o que não elimina ou alivia as metas a serem alcançadas, pelo contrário. Os indicadores de produtividade de empresas assim são bem altos.

Todas as empresas devem ter um ambiente divertido?

Imagine a linha de produção de uma indústria farmacêutica. Em determinadas funções o nível de concentração exigido é tão alto que inviabiliza qualquer brincadeira. Salas, roupas e equipamentos esterilizados, acessórios de trabalho especiais, tudo isto exige que o trabalho seja assim. E há outros casos, se imagine chegando na recepção de um hotel onde a colaboradora tem que interromper uma brincadeira para lhe atender, seria no mínimo, estranho.

Então como buscar o equilíbrio entre descontração e produtividade? Na minha opinião, a descontração começa nas relações. Já conheci e trabalhei em ambientes onde . Se ele está presente, as pessoas nem respiram a vontade; quando ele está fora tudo corre de forma mais gostosa. Nos dois momentos as tarefas foram executadas, os clientes foram atendidos, então, o obstáculo ao equilíbrio é o líder.

Não é preciso pintar as paredes, comprar brinquedos, pendurar móbiles ou qualquer outra bobagem para que o ambiente seja gostoso, transmita uma energia boa. É preciso relacionamento e comunicação. Daí lembramos de outro ditado dos RH’s: o funcionário não se demite da empresa, se demite do líder.

Ora, se sabemos isto, sabemos a resposta. Observe se o líder gosta das pessoas, se conversa e escuta sua equipe, e, se quando ele está longe as pessoas sorriem mais. São indicadores poderosos na avaliação de liderança. . Ainda não inventaram um videogame que substitui uma boa conversa.

Em tempo, os RH’s de Extrema estão dando um bom exemplo de como buscar este equilíbrio. As empresas se uniram e o Cada empresa está realizando suas preliminares e no aniversário da cidade, com direito a banda de música, os finalistas vão subir ao palco. Uma ótima maneira de levar mais cor ao ambiente das industrias, promover a integração interna e externa e também o engajamento com a marca da empresa, afinal, você já viu mais engajamento do que numa torcida?

Artigos sobre RH e desenvolvimento de liderançaSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.

Uma nova forma de desenvolver liderançasQuer melhorar o desempenho de sua equipe? Precisa desenvolver os líderes na sua empresa? Conheça as palestras e workshops dos consultores Adriano Carvalho e André Lodi.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.