Namoro e trabalho | Como manter tudo numa boa

namoro_no_trabalhoEm uma convivência diária, durante um longo período, é comum que os profissionais acabem iniciando relacionamentos amorosos com colegas de trabalho. Assim namoros e até casamentos se misturam com o ambiente de trabalho, mas como fazer para não criar um problema na empresa?

:: Receba os artigos direto no seu e-mail assinando gratuitamente o Feed.

“As pessoas passam 10, 12 horas no trabalho, e acaba sendo natural que elas encontrem dentre seus colegas alguém por quem se interessem para um relacionamento a dois”, diz o especialista em carreira e presidente do site Curriculum.com.br, Marcelo Abrileri. No entanto, o profissional precisa tomar alguns cuidados ao iniciar um relacionamento com um colega de equipe. O primeiro passo, segundo Abrileri, é verificar se a empresa possui uma política de conduta específica sobre esse tema.

Caso não existam regras de comportamento para esse caso, o especialista destaca 10 dicas para não errar:

1) Observe a cultura da empresa: Antes de o profissional pensar em se envolver com alguém do trabalho, é preciso investigar como a organização procede nesses casos. Se há um histórico negativo sobre o assunto, cabe ao profissional evitar que a sua situação particular seja tratada como um caso reincidente;

2) Trabalho é prioridade: O profissional precisa ter em mente que o ambiente de trabalho é para trabalhar. Por isso, o ideal é evitar qualquer interferência pessoal no desempenho profissional. Cabe ao casal colocar esta situação de maneira leve e clara;

3) Saiba diferenciar: Abrileri alerta que é importante o profissional saber distinguir uma paquera (situação quando há trocas recíprocas de olhares e gestos que conotam uma atração) de um assédio (uso de poder para forçar a pessoa a uma determinada situação);

4) Não misture!: Quando profissionais se envolvem em um relacionamento amoroso, há um risco do trabalho invadir os assuntos pessoais e vice-versa. Por exemplo: uma opinião contrária sobre determinado assunto pode ter reflexo no relacionamento. Por isso, é importante separar os assuntos. Neste caso, o especialista aconselha uma boa conversa entre o casal;

5) Conselhos: Se algo negativo sobre o relacionamento está sendo dito, certamente o casal envolvido será o último a saber. Então, uma boa forma de medir isso, na opinião de Abrileri, é pedir conselhos para pessoas de confiança da empresa. Além disso, se há algo errado com a imagem que a equipe faz do relacionamento, o segredo é que o casal aja de maneira ética, buscando mais discrição;

6) Rupturas: Se o relacionamento amoroso acabar, é importante que o profissional não fale mal do parceiro;

7) Não divulgue: O profissional não precisa esconder que está namorando com alguém da equipe, mas também não é indicado ficar comentando para todos. Se o profissional for questionado por um superior, não há porque esconder. O especialista alerta apenas que o casal deve combinar o que dizer nessas situações;

8) Namoro entre pessoas do mesmo departamento: Nessas situações, o casal deve ter muito cuidado e combinar como irão agir durante o expediente, para evitar situações constrangedoras;

9) Namoro com superiores: Nesse caso, o casal precisa definir que postura adotar. A situação é bastante delicada, porque se o líder promove o profissional que ele se relaciona por competência, nem todos irão acreditar que esse é o motivo, o que pode acarretar em conflitos na equipe. Logo, essa situação precisa ser revista;

10) Discrição: Abrileri finaliza ressaltando que a postura do casal no ambiente de trabalho deve ser discreta em todos os sentidos. Com essa atitude, o casal evita os comentários indesejados.

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.