RH | Empresas reagem para evitar perda de talentos

empresas investem na retenção de talentosPesquisa realizada com mais de mil executivos brasileiros, entre dezembro de 2011 e janeiro de 2012, revelou que empresas recorreram a medidas emergenciais como promoções e reajustes salariais para reter bons profissionais.

A consultoria de seleção de executivos StautRH comparou os números de 2010 e 2011 sobre movimentação de executivos no mercado de trabalho e observou um aumento de 27% no número de reajustes por mérito e um crescimento de 17% na concessão de promoções. Neste mesmo período, não houve aumento na oferta de treinamento ou programas de desenvolvimento oferecidos pelas empresas a estes mesmos profissionais.

:: Receba os artigos direto no seu e-mail assinando gratuitamente o Feed.

Para evitar que bons profissionais sejam seduzidos por atraentes oportunidades no mercado de trabalho, muitas empresas têm reagido com ações isoladas para retê-los. Enquanto o índice dos executivos que foram promovidos ou mudaram de cargo aumentou de 29% dos pesquisados em 2010 para 34% em 2011 e o número de profissionais que receberam aumento de salário subiu de 30% para 38% dos respondentes, a porcentagem daqueles que foram beneficiados por algum tipo de treinamento ou outras ações de desenvolvimento profissional manteve-se estável em 47%. “Em 2010 havíamos observado um mercado de trabalho extremamente aquecido, fruto da retomada da economia no Brasil e de uma demanda reprimida do ano anterior devido à crise de 2008 e 2009. Muitos profissionais se movimentaram, trocando seus empregos por outros com melhores salários e cargos de maior responsabilidade. As empresas, por sua vez, se deram conta disso e reagiram promovendo seus melhores talentos e reajustando seus salários”, explica Luiz Alencar, sócio executivo da StautRH e coordenador da pesquisa. E complementa: “Nosso trabalhado de recrutamento e seleção ficou mais difícil, pois os melhores profissionais estão sendo prestigiados por suas empresas, deixando de buscar ativamente por novas oportunidades e tornando-se mais seletivos quanto aos convites que recebem. Neste cenário, tornam-se ainda mais importante a experiência do headhunter e a prática do hunting ativo”.

Paulo Teixeira, um dos consultores da StautRH, vivenciou na prática esta situação. Um dos candidatos finalistas de um processo seletivo recentemente ligou para avisá-lo que estava declinando do processo porque acabara de receber um reajuste “surpresa” de 20% no seu salário. “A empresa, ao perceber que inúmeros profissionais importantes para ela estavam participando de processos seletivos, convocou um a um e ofereceu ajustes funcionais e salariais na ordem de 20% para cada um deles, desencorajando-os a seguirem nos processos seletivos”, relata Paulo Teixeira.

Outro caso curioso ocorreu no início de 2010 em uma multinacional do segmento eletrônico cujo absenteísmo de sua mão de obra operacional estava girando na casa dos 10%. Ao investigarem as causas, constataram que os funcionários estavam se ausentando para participar de entrevistas, testes, dinâmica de grupo e processos seletivos. A empresa então resolveu promover um reajuste salarial coletivo de cerca de 10% a todos os colaboradores das áreas mais afetadas e, assim, desestimulá-los a continuarem buscando outras oportunidades.

todo_gerente_é_líderAssessment pode ser a solução

Os programas de assessment, também conhecidos como avaliação de potencial, são ferramentas que auxiliam na identificação dos melhores profissionais. Assim, as empresas podem aplicar políticas de retenção seletivamente, com a certeza de estar investindo na pessoa certa. Luiz Alencar explica que as ações para reter um profissional podem incluir o desenvolvimento de um plano de carreira bem definido e mais arrojado, incluindo treinamentos diferenciados, programas de job-rotation, e condução de projetos especiais de cunho estratégico e alta visibilidade dentro da organização. “Estes e outros recursos fazem com que o ambiente interno da empresa seja tão ou mais atrativo que o externo para este profissional, evitando assim que ele busque novos desafios e oportunidades fora.” explica Alencar.

A íntegra da pesquisa deste ano pode ser conferida no link http://slidesha.re/yGIsYP.

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.