Como a Matemática Emocional influencia o seu dia

matemática_emocionalQuer diminuir o sentimento de inveja que paira no ar, quer aumentar a sua estima? Faça as contas!

A matemática é uma ciência que muitos não entendem, mas além das complexas equações numéricas, o que poucos sabem é que a matemática pode auxiliar no entendimento das emoções. Quem explica, é a especialista em potencial humano e terapeuta, Vanessa Ritzel.

:: Receba os artigos direto no seu e-mail assinando gratuitamente o Feed.

“O método que entende as emoções por meio da matemática, permite um autoconhecimento maior, responsável pela mudança de postura. Ao tomar conhecimento do próprio problema, a pessoa consegue encontrar soluções forma simples” – resume Vanessa.
 
Por exemplo, se falarmos da inveja. Na equação Inveja = (Orgulho + Vaidade) / Bondade, entende-se que ela surge quando nosso orgulho somado à vaidade fica maior que nossa bondade. Ou seja, sem orgulho e sem vaidade, o resultado da equação da inveja seria zero.
 
Através desta equação, também é possível entender melhor sobre a inveja Construtiva e Destrutiva. No caso da construtiva, a pessoa é desafiada a vencer, a querer ir além à vida, característica comum nas pessoas bem sucedidas que procuram lições e se inspiram no sucesso dos outros. A equação mostra que nestas pessoas, ou inexiste vaidade e orgulho, ou estes sentimentos são muito menores do que a bondade.
 
Já a inveja destrutiva faz com que a pessoa fique estagnada, lamentando o sucesso dos outros, característica comum nas pessoas mal sucedidas que se sentem ameaçadas com o sucesso dos outros. A equação mostra que nestas pessoas o orgulho e vaidade superam a bondade.
 
“Desta forma, fica claro entender que as pessoas, mesmo aquelas com inveja destrutiva possuem um mínimo de bondade. Ou seja, basta trabalharem melhor seu orgulho e sua vaidade para que a inveja desapareça ou transforme-se em inveja construtiva” – conclui.
 
Já a equação da autoestima é o resultado da divisão entre o sucesso e as expectativas (autoestima = sucesso / expectativas). Ou seja, para a pessoa ter a autoestima elevada é preciso alcançar o sucesso sem ter muitas expectativas sobre ele. E o contrário, quando as expectativas são maiores que o sucesso obtido, a autoestima fica baixa. “Portanto, se deseja elevar a autoestima controle a expectativas e desfrute do seu sucesso” – pontua a especialista.
 
Vanessa Ritzel –Especialista em potencial humano, pesquisadora e terapeuta há mais de 10 anos, Vanessa Ritzel é também modelo internacional há mais de 16 anos, o que contribuiu para conhecer e estudar diferentes culturas, já que morou em diversos países como Argentina, Chile, Londres, México e Peru. Vanessa ainda é reikiana nível II e uma empresária de sucesso no ramo da beleza e estética. Para saber mais: www.opoderdohabito.com.br e www.timos.com.br.

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.