Liderança | Sua importância em momento de crise

o_novo_líderTodas as vezes que os resultados de uma empresa não estão de acordo com os planejados e o final do ciclo financeiro se aproxima, muitas inquietações começam a rondar a mente do executivo. Vemos as mesmas ações sendo feitas: corte de pessoas, mudanças de executivos, planos de incentivos à equipe comercial para aumento de faturamento, corte de investimentos e custos, entre outros.

:: Receba os artigos direto no seu e-mail assinando gratuitamente o Feed.

Também vemos que essas ações nem sempre dão certo e, a partir daí, o executivo começa a tentar amenizar seu sentimento de frustração lembrando-se de que o mercado em que atua também não teve bom desempenho naquele período. Entretanto, vale ressaltar: não tente amenizar o problema. Encare-o e aprenda quais são as reais causas dele.

Uma das principais causas é a de que o executivo ainda utiliza práticas do século XIX como forma de obter os resultados que almeja, mas o mundo está mais complexo e em constante mudança .

Independentemente do segmento de atuação, as ações do executivo devem estar baseadas na era do conhecimento, não mais na era industrial. Ou seja, quem manda no mercado hoje não é mais o fabricante e sim o cliente, e ele quer ser tratado como único – mesmo em segmentos comoditizados. A estrutura hierarquizada é lenta demais para atender às suas demandas e é um erro fatal somente levar a eficiência como foco de seus indicadores de resultados já que o problema hoje é a complexidade do mercado.

Outro ponto importante é entender definitivamente que quem traz resultado para a empresa são pessoas. Por isso, sua atuação no negócio deve ser voltada para gerar o melhor ambiente para que os colaboradores tragam os resultados.

Não tente motivar ninguém. Qualquer pessoa quer se sentir útil e produtiva, ou seja, quer se interessar pelo trabalho, se motivar frente às metas que se compromete, buscar e aceitar responsabilidade, deseja realizar todo o seu potencial, é criativa e inovadora – tudo isso, dentro das condições certas.

Então, por que as pessoas não dão o melhor de si ou não demonstram estar comprometidas? Muito provavelmente você impede as pessoas de darem o seu melhor. Pergunte legitimamente para a sua equipe o que você faz ou deixa de fazer que a impede de ter o melhor desempenho. É um momento dolorido e difícil, a princípio todos dirão que está tudo bem, mas não aceite as primeiras respostas. Dê abertura para todos falarem. A partir daí comece a trabalhar, mudar. Sua responsabilidade é criar as tais condições certas para as pessoas buscarem resultados.

Concluindo, o papel do líder em qualquer momento, seja de crise ou não, é alinhar todos em torno das mudanças do mercado, da visão da organização, ser exemplo da prática dos valores da empresa e dar as condições certas para que os colaboradores realizem todo o seu potencial. Tenha a certeza de que seus concorrentes estão fazendo a mesma pergunta que você e pode ser que eles tenham a mesma resposta. A diferença entre um e outro é a coragem de mudar!

Roberta Yono Ebina é consultora associada da Muttare, consultoria de gestão. Conduz treinamentos de construção de time e programa de formação de liderança e é qualificada em MBTI e processo de Executive Coaching.

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.