Adiantar recebíveis: solução ou problema para o empreendedor?

empregados_endividadosAdiantar recebíveis para sanar problemas de caixa, podem se tornar uma bola de neve para o empreendedor, e, consequentemente, prejudicar o sucesso da empresa no mercado

Micro, pequenos e médios empresários são testados dia a dia no mundo empreendedor. Estar atento às novidades do setor, equilibrar as finanças, calcular as despesas com mão de obra, produto e outros itens, são apenas algumas das muitas tarefas que o empresário precisa se atentar. Entretanto, quando soluções de médio e longo prazo precisam ser tomadas, um dos maiores erros é atacar o efeito e não a causa de determinados problemas de gestão.

:: Receba os artigos direto no seu e-mail assinando gratuitamente o Feed.

Dados preliminares do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), calculam que a taxa de mortalidade das empresas no Brasil declinou nos últimos anos. Hoje, mais de 70% das empresas sobrevivem aos dois primeiros anos de atividade – considerado o período mais crítico. Em estudos anteriores o índice não chegava a 50%.

Batista Gigliotti, presidente da Fran Systems, consultoria em desenvolvimento de negócios e de franquias, explica que “elaborar uma estratégia é vital para o empreendedor não adiar a solução definitiva do problema. Em muitos casos, como, por exemplo, adiantar os recebíveis de cartão de crédito e cheques pré-datados só irá prorrogar a questão, já que o empresário conseguirá apenas uma solução momentânea”.

Empresários que não se atentam a essas questões prejudicam o fluxo de caixa da empresa e deixam o problema “se transformar em uma bola de neve, já que futuramente faltarão recursos para sanar as outras questões que virão. É necessário, então, planejar as ações para evitar que, no curto, médio ou longo prazo, a empresa não esteja vulnerável”, revela Gigliotti.

Muitas vezes outras opções para captar recursos não são sequer pensadas pelos empreendedores. “O estoque já existente da empresa, que, em algumas vezes, já está pago e só acumula espaço no estabelecimento, pode ser uma alternativa válida para o empresário angariar fundos”, destaca o consultor.

Um dos graves problemas que acarretam prejuízos no ambiente de negócios é que o empresário, em determinadas situações, não busca orientação para solucionar algumas questões. Gigliotti afirma que “com essa falta de planejamento, é difícil mesmo o empreendedor manter as portas de seu estabelecimento abertas, funcionando sustentavelmente. Se ele não se planejar, mais cedo ou mais tarde, a empresa não terá mais onde captar recursos, e esse pode ser o fim da linha para a sobrevivência da empresa”.

Batista Gigliotti é presidente da Fran Systems, consultoria em desenvolvimento de negócios e de franquias. A empresa possui em sua carteira de clientes empresas, empreendedores, franquias e franqueados de variados segmentos, entre eles: Agility, IPESSP, Sal e Brasa, Sunbelt Business Brokers, Nobel, Devassa, Pizza Hut, Pra Que Marido, Seven Idiomas e Station Car entre outras – www.fransystems.com.br – É também mestre em administração e professor dos cursos de pós-graduação da EAESP-FGV, Senac, Anhembi, BI e Ibmec/Veris.

feedSe você gostou do artigo, envie para um amigo ou parceiro de negócios. E para receber as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto,seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.