Plano de Saúde | A importância da gestão

liderança-e-gestaoDizer que o plano de saúde é um dos benefícios mais importantes do programa de benefícios da sua empresa, é ser repetitivo. Dizer que o plano de saúde é um dos maiores custos para as empresas, normalmente, perdendo apenas para a folha de pagamento, também é chover no molhado. Dizer que o RH ganhou mais responsabilidades com as mudanças que a ANS vem fazendo, também não é novidade. Mas como o RH vai gerenciar um produto que ganhou tantas novas regras nos últimos 12 meses?
Em um ano, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou cerca de 50 novas Resoluções Normativas, as RNs. São elas que incluem novos procedimentos no ROL ou que determinam a mudança nas regras de portabilidade.
 
Se você não sabe, todos os planos ou seguros saúde são regulados pela agência federal ANS, é ela quem dita as regras do que as empresas de saúde suplementar podem ou devem fazer. E porque isto? Porque quase 47 milhões de brasileiros contam com os serviços de 1.400 operadoras de saúde e odonto para cuidar da saúde sem depender do SUS. Impedir que estas empresas cometam abusos e garantir que cumpram os indicadores mínimos de qualidade é a tarefa da ANS.
 
Numa destas mudanças, foi determinado que o reajuste dos planos de saúde empresariais só podem ser feitos uma vez por ano. Isto significa que sem a gestão correta, o índice da sinistralidade vai pesar muito. A prova disto é que tem sido comum o pedido de reajustes em torno de 20% até 40%, números capazes de enfartar muitos RHs.
 
Por outro lado, quem leu atentamente a publicação das 150 Melhores para se Trabalhar, notou que o plano de saúde foi ponto negativo para várias empresas. Então, oferecer o benefício e pagar por ele não basta. É preciso fazer a gestão! E quem faz isto? Não é o RH, é o consultor de benefícios, o sujeito que fez a venda para a sua empresa. Ele já recebe por isto, então, tem que entregar o serviço.
 
Numa das últimas RNs, de 22/agosto, a ANS propõe estimular programas de promoção de saúde através da oferta de descontos pelas operadoras. Isto significa que o RH poderá diminuir a conta do plano de saúde promovendo seriamente programas de saúde dentro da empresa. Sem aprofundar muito, é possível perceber que a gestão neste caso vai envolver: o médico do trabalho, o nutricionista responsável pela alimentação e o consultor de benefícios. Estes profissionais tem que conversar, que trabalhar em conjunto e oferecer ao RH um suporte mais inteligente.
 
Agora me responda: a ANS publicou 50 RNs em pouco mais de um ano. Quantas vezes o seu consultor de benefícios foi te esclarecer o que isto muda na sua vida?
 
Para saber mais: