RH | Lições das 150 Melhores para Trabalhar

Qual ponto negativo apareceu em 20% das empresas listadas?

A publicação da Você S/A e Exame chega aos 15 anos com todo vigor e se consolida como um grande guia de boas práticas de gestão em recursos humanos. Num momento em que apenas as 150 Melhores para se Trabalhar estão recrutando mais de 27 mil profissionais, entender e praticar as lições para desenvolver, atrair e reter talentos é questão de sobrevivência. E, mesmo os pontos a melhorar guardam recados importantes.

Boas Práticas de RH

O guia das 150 Melhores Empresas para Trabalhar é uma publicação para ser lida em detalhes e com calma. Cada idéia, cada estatística pode e deve ser refletida e depois ser transformada em ação. O que se observa é que o grande fator de mudança nas empresas de sucesso é a postura dos líderes diante dos profissionais dos escalões mais baixos. Valores com transparência, ética, inclusão social, responsabilidade social estão mais presentes e fortes na avaliação dos funcionários e pode ser decisivo na escolha de um emprego.

Aliás, a revista deixa claro no artigo “A Gente Não Quer Só Comida” que explica a mudança da relação entre empresas e trabalhadores. Por anos, com o mercado em baixa, o brasileiro aceitava o emprego que tinha na mão. Podia ser informal, podia não pagar horas extras, podia não ter plano de saúde, podia ganhar mal e não ter segurança alguma. Mas aquele tempo passou. O mercado aqueceu, os empregos cresceram numa proporção sem precedentes e a negociação ganhou outro rumo. “Com uma oferta de emprego historicamente inédita (a taxa de desemprego está na casa dos 6%), os funcionários das melhores empresas do Brasil estão mais confiantes em sua capacidade de se recolocar e passaram a ser implacáveis na avaliação da empresa em que trabalham”, sentencia o artigo.

E não fica por ai. O levantamento aponta que o salário médio pago pelas industrias diversas ficou R$ 1.500 maior entre 2009 e 2010. Entre os 15 setores avaliados pelo guia de Você S/A e Exame, apenas em um o rendimento do trabalhador não cresceu.

Perguntas que o seu RH deve fazer

Investir na gestão de pessoas é colocar sua empresa no rumo do sucesso

As 150 Melhores Empresas para Trabalhar provam por A mais B que investir nas pessoas dá certo, dá lucro e traz felicidade. Há exemplos de empresas que construiram creche, outras que inovaram no pacote de benefícios e outras que desenvolveram programas difereciados de desenvolvimento profissional. A pergunta é: o que sua empresa está fazendo? O plano de saúde ainda é considerado uma despesa? O plano de cargos e salários é apenas pró-forma? Investir em treinamentos, palestras e cursos de desenvolvimento ainda é considerado supérfluo? Os líderes ainda são chefes?

Se sua empresa está na contramão das boas práticas de rh, também está na contramão do desenvolvimento.

As 150 Melhores ainda tem o que melhorar

Na avaliação de cada empresa, a publicação indicou um ponto positivo de destaque e também um ponto a ser trabalhado. Há questões muito diversas e algumas atéInvestir num plano de previdência privada empresarial é investir em retenção de talentos questionáveis, mas dois pontos merecem atenção. O primeiro, em 20% das empresas listadas pesa como ponto negativo a inexistência ou falha do plano de previdência privada empresarial. O brasileiro está ficando velho, rapidamente, e, sabe bem que não poderá contar com a aposentadoria do INSS para manter seu padrão de vida. Desenvolver um plano de previdência privada é algo valioso tanto do ponto de vista de valorização do profissional, como também do ponto de vista de retenção de talentos.

A previdência privada pode ser desenvolvida de acordo com as características da empresa, definindo valor de contribuição, regras de vesting, modo de participação, etc. Mas o efeito prático da previdência privada é que é um benefício que gera relacionamento de longo prazo… Tudo haver com retenção de talentos, não é mesmo? Mas as empresas que ofertam a previdência privada instituida (quando a empresa patrocina o plano) também recebem um benefício fiscal muito atraente. Em resumo, a previdência privada é o benefício que mais tem agregado valor às empresas, se a sua não tem, é melhor pensar nisto rapidinho e elliminar este ponto negativo da sua lista.

Gestão do Plano de Saúde

Das 150 Melhores para se Trabalhar, em 11 os funcionários reclamaram do plano de saúde. Quem levou a culpa? As falhas do fornecedor (operadoras, seguradoras ou cooperativas) resultou em pontos negativos para as empresas. Vamos ver por outro lado. O que aconteceria se o seu cliente tivesse reclamações por conta do seu trabalho? Isto mesmo, a coisa ficaria feia.

Como em qualquer relação profissional, os dois tem que cumprir seu papel. O plano de saúde tem que agregar valor e não gerar dor de cabeça para o RH. A falha está na gestão do benefício que não antecipou as reclamações, não tinha os indicadores de satisfação, não deu a retaguarda necessária ao RH. O que fazer nesta situação? Como a própria publicação sugere, estes são pontos a serem melhorados.  Converse com quem sabe o que faz, de verdade.

feedVocê também pode seguir o Caminhando Junto pelo Twitter ou ver meu perfil no LinkedIn e para não perder as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto. O serviço é totalmente gratuito.