Lições de empreendedores de sucesso aos 30 anos de idade

Segundo a ABFAssociação Brasileira de Franchising – o Brasil já é o terceiro mercado de franquias do mundo. Com um faturamento de R$ 32 bilhões, o setor conta com 850 empresas franqueadoras e 60 mil unidades franqueadas, nos mais variados setores. E, dentre esse número, estão muitos jovens com menos de 30 anos que enxergaram no setor de franquias a oportunidade de realizar o sonho de ter um negócio próprio, mas sem correr os riscos envolvidos em montar um negócio do zero, independente.

Aliando a disposição para o trabalho e a vontade de inovar, características do jovem, com o conhecimento do negócio e o respaldo oferecidos pelas redes franqueadoras, encontram-se muitas histórias de sucesso espalhadas pelo país. 
Alyson Favaro empresário de 28 anos, franqueado da Água Doce de Joinville (SC), começou como empregado em um dos restaurantes Água Doce, especializados nos melhores Sabores do Brasil, instalado em Chapecó (SC). Ele ajudou na administração por cinco anos, passando por todos os setores da casa, da cozinha ao salão. Até que, em 2004, comprou a Água Doce de Joinville que, apesar da ótima localização, estava precisando urgentemente de uma revitalização. Ele e o sócio, o cunhado César Augusto do Nascimento, também de 28 anos, fizeram grandes reformas no estabelecimento e hoje quase triplicaram o faturamento inicial.
Com grande sucesso junto aos seus frequentadores, Favaro acredita que o conhecimento adquirido durante os anos de trabalho no Água Doce de Chapecó foram fundamentais para seu sucesso “Tive a oportunidade de vivenciar os problemas no dia a dia, o que me dá grande segurança para orientar melhor meus colaboradores e atender cada vez melhor os clientes”, pondera. Devido a seu ótimo relacionamento com a franqueadora e sua postura aberta a inovações, muitas novidades são testadas na casa, como aconteceu com o Cartão Fidelidade da rede e o Cardápio Infantil. “Estamos sempre escutando a opinião dos clientes e buscando melhorar. Acho que este é o perfil de um franqueado Água Doce”, conclui.
Fabiane Matte, gaúcha de 28 anos, é outro exemplo. Tendo trabalhado com a mãe por um ano numa loja Restaura Jeans em Caxias do Sul (RS), resolveu investir num negócio próprio abrindo, em 2004, sua primeira loja da marca em Farroupilha. Com dinheiro emprestado da avó e trabalhando até 16 horas por dia, conseguiu pagar as dívidas e começar a ter lucro, comprando em 2009 a segunda franquia da rede, em Bento Gonçalves. Hoje, Fabiane administra as duas lojas – – especializadas em tingimento, costura, customização de roupas, lavanderia, renovação e cuidados com peças de couro –, contando com a mãe na supervisão da produção. Pretende expandir o negócio com mais pontos de coleta, objetivo para os próximos cinco anos. “Para um negócio dar certo, você tem que, primeiro, acreditar, e depois correr atrás. E o fato de ser jovem ajuda, porque você tem mais energia e menos medo de se arriscar”, analisa.

Outro caso de sucesso é o dos irmãos Marco Antonio Colognese, de 25 anos, e João Paulo Colognese, de 26 anos. Marco Antonio, formado em Automação Industrial, estava cansado da sua área de atuação e sempre teve o sonho de abrir um negócio próprio na sua cidade natal, Caxias do Sul (RS). Chamou para sócio seu irmão, que já atuava no comércio, e procurava uma franquia que fosse de seu interesse quando se apaixonou pelos produtos da UATT?, marca que oferece inúmeras opções de presentes divertidos, diferentes, coloridos e em formatos inusitados. Por serem eles próprios o perfil do consumidor da marca, são muito escutados pelos franqueadores, que acatam suas idéias e sugestões. Tanto que uma delas já está para ser implantada na rede: o vale-presente. “Temos um ótimo relacionamento com os franqueadores, que são também jovens e muito abertos para idéias novas e criativas. Acredito que somos a cara da marca Uatt?”, analisa Marco Antonio.
Muitas vezes, a abertura de uma franquia pode significar uma virada total no estilo de vida do franqueado. Foi o caso de Thiago Romão, máster-franqueado e dono de uma franquia OligoFlora, rede especializada em bem-estar e estética funcional. Ele atuava na área de importação e exportação no Banco Itaú quando conheceu a marca numa feira de franquias patrocinada pelo próprio banco.
Como sonhava em trabalhar com qualidade de vida e bem-estar, viu na OligoFlora a oportunidade ideal. Há um ano, ele se tornou máster-franqueado para toda a região de Campinas e abriu seu próprio studio OligoFlora em Alphaville, bairro de Barueri, região metropolitana de São Paulo. Hoje, aos 27 anos, diz que está aprendendo a cada dia com as clientes e funcionárias, já que a mudança foi muito grande. “Estava acostumado a trabalhar num ambiente masculino e agora meu público é, em sua maioria, feminino, inclusive minhas funcionárias. Estou me acostumando neste novo universo, mas a experiência tem sido muito boa”, garante.

Se você se interessa por franquias, veja também estes artigos:

Você também pode seguir o Caminhando Junto pelo Twitter ou ver meu perfil no LinkedIn e para não perder as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto. O serviço é totalmente gratuito.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.