Atração e retenção de talentos é desafio também para Micro e Pequenos

Proprietários e gerentes de micro e pequenas empresas enfrentam dificuldades na hora de contratar. É o que mostra o levantamento Expectativas das Micro e Pequenas Empresas Mineiras (MPEs) para o terceiro trimestre de 2011. De acordo com a pesquisa, quase metade (46,8%) das empresas têm muita dificuldade em contratar profissionais qualificados e 17,9% relataram alguma dificuldade nas contratações.

Os setores que relataram maiores dificuldades para localizar mão de obra qualificada foram a indústria e a construção civil. De acordo com a analista do Sebrae-MG Venússia Santos, o resultado da pesquisa pode indicar um desajuste entre a oferta e a procura por trabalho. “As escolhas individuais por formação, bem como a disponibilidade de vagas e cursos parecem não estar condizentes com o mercado de trabalho. Deve-se considerar também que as escolas não estejam formando as competências necessárias”, avalia.
Essa é uma realidade bem conhecida pelo empresário Celso Silva, proprietário da Gráfica Júpiter, localizada em Contagem. Há 17 anos no mercado, o empresário relata que esse é um dos momentos mais difíceis para quem procura mão de obra qualificada. “Está difícil encontrar bons profissionais. Há muito tempo estou com vagas abertas para arte-finalista e para impressores. Percebo que a formação profissional ainda é muito deficitária e também falta interesse por parte dos candidatos”.
A pesquisa Expectativas das MPES é realizada trimestralmente pelo Sebrae-MG com MPEs dos setores de indústria, construção civil, comércio e serviços de todas as regiões do Estado. A atual edição é referente às expectativas para o terceiro trimestre de 2011 e foi feita a partir de entrevistas com 560 empresas (amostra selecionada a partir do cadastro RAIS/2010 do Ministério do Trabalho e Emprego.
O objetivo do levantamento é captar o índice de expectativas (IE), que varia de 0 a 100, sendo 0 muito pessimista e 100 muito otimista. A pesquisa mostrou que a maioria dos entrevistados (66,8%) está otimista para o terceiro trimestre. No entanto, houve uma queda em relação às expectativas otimistas para o segundo trimestre (79%) e um aumento das assinalações pessimistas, de 20,6% no segundo trimestre para 30,2% no terceiro.

Você também pode seguir o Caminhando Junto pelo Twitter ou ver meu perfil no LinkedIn e para não perder as atualizações bastaassinar o Feed do Caminhando Junto. O serviço é totalmente gratuito.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.