Arranjos produtivos locais de Pernambuco receberão apoio do Governo e do BID

Estado investirá US$ 16,7 milhões para impulsionar a competitividade de empresas estruturadas no âmbito de arranjos produtivos locais (APLs) do Estado. O contrato foi assinado esta semana.

Com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), a iniciativa vai apoiar o desenvolvimento de mecanismos de produção e difusão de inovações e de articulação entre as empresas e instituições previstas no programa.
No começo da semana, o Representante do BID no Brasil, Fernando Carrillo-Flórez esteve com  o Governador Eduardo Campos, ocasião em que trataram do tema. Carrillo destacou que os arranjos produtivos locais devem responder ao mercado e aos desafios que enfrentam as micro e pequenas empresas para serem capazes de competir em uma economia globalizada.
“A definição das políticas e das intervenções para melhorar a competitividade dos APLs podem desencadear uma série de impactos positivos para o bem-estar da sociedade e o meio ambiente local. Neste sentido, o Estado de Pernambuco tem todas as condições para o desenvolvimento deste tipo de projeto”, disse.
A iniciativa apoiará a estratégia de utilizar APLs como instrumento de política pública para impulsionar o desenvolvimento produtivo, a inovação e o aumento da competitividade estadual em concordância com as políticas de desenvolvimento produtivo e da competitividade do país.
O projeto compreende quatro frentes de ação, com o desenvolvimento de um modelo público-privado de apoio à competitividade dos APLs; a implementação dos Planos de Melhoria da Competitividade dos APLs; a aplicação estratégica de tecnologia da informação e comunicação (TICs); e o sistema de acompanhamento, avaliação e identificação das lições aprendidas.
A partir desta iniciativa, espera-se que as empresas beneficiadas em cada APL possam aumentar suas vendas, lucros e produtividade, assim como melhorar seus processos tecnológicos e produtos oferecidos. Espera-se ainda que as empresas desenvolvam uma visão conjunta que permita ao APL se posicionar melhor no mercado nacional e internacional, enfrentando de forma sustentável os desafios de um mercado crescentemente competitivo e globalizado.
Os investimentos previstos compreendem US$ 10 milhões do Banco e contrapartida de US$ 6,7 milhões do Estado. O projeto estará a cargo da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco, responsável pela execução das iniciativas previstas. O projeto será executado em parceria com o SEBRAE estadual e a Federação das   Indústrias do Estado de Pernambuco
.
Arranjo Produtivo Local – O que é
O arranjo produtivo local (APL) se caracteriza por um conjunto de fatores econômicos, políticos e sociais localizados em um mesmo território e voltados para o desenvolvimento atividades econômicas correlatas.
Os APLs cumprem um papel importante na busca de um tipo de desenvolvimento que não está baseado apenas no crescimento econômico, mas que busque alcançar um importante grau de sustentabilidade, respeitando o meio ambiente e o território local onde se encontram, introduzindo considerações de coesão social e contribuindo para a eventual redução da pobreza.


Você também pode seguir o Caminhando Junto pelo Twitter ou ver meu perfil no LinkedIn e para não perder as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto. O serviço é totalmente gratuito.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.