Sua empresa vai além das aparências?

Outro dia li numa revista institucional de uma organização, a matéria sobre as ações de responsabilidade social dela. Na foto, os diretores entregavam pacotes de folha sulfite, numa ação que não tem nada de socialmente responsável, muito menos de bonita. Caridade não é responsabilidade social empresarial, muito menos é algo que se possa ficar publicando como se fosse a coisa mais brilhante do mundo. O consumidor evoluiu, mas parece que algumas organizações continuam no século passado.

O que é Responsabilidade Social?
De acordo com o Instituto Ethos, um dos principais pontos de referência do assunto no Brasil:
“Responsabilidade social empresarial é a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais que impulsionem o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais.”
Isto quer dizer que entregar cobertores, distribuir pacotes de sulfite não tem nada haver com Responsabilidade Social, é caridade. Dizer que a empresa tem um programa de Responsabilidade Social significa dizer que é mais do que uma geradora de riqueza, que, aliás, é seu primeiro compromisso social, afinal empresa que não dá lucro é um câncer na sociedade, pois vai quebrar e deixar muitas sequelas. Para que as doações fossem fruto de uma ação de RS seria necessário haver algo por trás da entrega. Por exemplo, o lixo da empresa foi separado e vendido para uma empresa de reciclagem e o dinheiro obtido se transformou nos produtos doados. Entendeu a diferença? Mas apenas pegar um cheque mandar um funcionário ao mercado comprar alimentos e depois distribuir dizendo que é RS, é conversa fiada.
Daí a responsabilidade, olha a palavra novamente, do assessor de comunicação e dos diretores da empresa em afirmar tal coisa. Como a empresa cuida de seus funcionários? Quais as práticas do Recursos Humanos da sua empresa? Como administra seu lixo? O que tem feito para reduzir o consumo de eletricidade? Que tipo de parceira tem para formar mão-de-obra? Como participa do planejamento estratégico de sua cidade? Como estimula o voluntariado interno? São muitas as possibilidade de um programa de responsabilidade social, mas aquela história de sair bonito na foto fazendo caridade e dizer que é RS…
O mundo já foi muito além do que nossos avós poderiam imaginar, não é? Então, não podemos nos comportar com valores de 30, 50 anos atrás. É preciso entender que mais do que nunca empresas, órgãos públicos e pessoas estão conectadas de uma forma muito mais intensa e que a prática da responsabilidade social representa o compromisso desta “teia social” em construir uma vida melhor. O tripé do conceito de sustentabilidade deixa isto muito claro:
:: Socialmente justo
:: Economicamente viável
:: Ecologicamente correto
Então, se sua empresa quer mesmo dizer que pratica a Responsabilidade Social leia os artigos abaixo, estude um pouco mais e quando tiver uma ação verdadeira, divulgue com muito orgulho.
Você pode acompanhar as atualizações assinando o Feed do Caminhando Juntoseguindo pelo Twitter ou cadastrando seu email, o serviço é totalmente gratuito.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.