Empresas contratam pelo currículo, mas demitem pelas atitudes

Dificuldade no relacionamento com a equipe está no topo da lista

gestão_de_benefícios Uma pesquisa, realizada pela Catho, com 12.122 profissionais de empresas privadas em todo o Brasil, revelou os principais fatores para a demissão de profissionais no país. Segundo o levantamento, além dos motivos relacionados à incompetência e à falta de resultados, também estão as questões comportamentais que resultam em demissões nas companhias.

A pesquisa, realizada em 2009, aponta que dentre as primeiras cinco razões, três são relacionadas a características pessoais do profissional, como não ter bom relacionamento com o grupo (17,8%), falta de dinamismo 3,0%) e inaptidão para liderança (11,3%). De acordo com o consultor Eduardo Ferraz, “as pessoas são contratadas pelo currículo e demitidas pelas atitudes”. O especialista afirma que uma das principais razões disso tem relação com a falta de QE, a inteligência emocional.

Em seu livro “Por que a gente é do jeito que a gente é?” – Editora Gente, Ferraz dedica um capítulo inteiro para explicar a relevância do QI (quociente de inteligência) e principalmente do QE (quociente emocional) no cotidiano das pessoas. Segundo o autor, normalmente o baixo QI tende a limitar o crescimento profissional de uma pessoa, o baixo QE pode destruir uma carreira.

“As pessoas com pouca inteligência emocional tem um autoconhecimento limitado. Normalmente este indivíduo não tem consciência de seus comportamentos e tem dificuldade em avaliar o impacto que suas atitutes causam nos demais. Como consequência, costuma ser egocêntrico, lidar mal com o estresse, ter baixa tolerância a frustrações, além de todas as outras questões comportamentais citadas na pesquisa como razões para demissão”.

Eduardo Ferraz responde ainda a uma pergunta feita frequentemente em seus seminários: é possível aumentar a inteligência emocional? “Um adulto não aumenta significativamente seu QI. (…) Já o QE, apesar ter um componente genético, se molda com hábitos, ensinamentos e exemplos aprendidos durante a infância, mas felizmente continua a aumentar durante toda a vida. Para um adulto é mais fácil desenvolver o QE do que o QI, basta esforçar-se para melhorar (e muito) seu autoconhecimento”.

 

feed Para acompanhar as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.