Previdência Privada vai conquistando os brasileiros

44% das famílias brasileiras querem planejar o futuro

image O brasileiro está a cada dia mais consciente da necessidade de ser previdente para que o futuro não se transforme em um período de surpresas desagradáveis. Diante disso, e aliado ao crescimento da economia nacional e ao aumento da renda da população, o segmento de previdência privada tem registrado avanços significativos nos últimos anos. Não é leviano, portanto, concluir que este setor é hoje um dos que oferece interessantes oportunidades de crescimento e desenvolvimento em nosso País.

Receba gratuitamente um estudo personalizado da sua previdência privada escrevendo para: [email protected]

Estudo realizado pela empresa Kantar Worldpanel, sob encomenda da Fenaprevi (Federação Nacional de Previdência Privada e Vida), mostra que o número de famílias brasileiras que pretendem poupar para o futuro passou de 29% em 2008 para 44% em 2009. Esta é uma demonstração inequívoca de que as pessoas têm a cada dia mais o entendimento de que é necessário planejar o futuro e garantir uma renda futura adequada, especialmente durante o período de aposentadoria.

Além disso, a pesquisa da Kantar Worldpanel demonstra que os planos de previdência privada ainda têm baixíssima penetração no mercado brasileiro. De acordo com o levantamento, apenas 4% dos pesquisados, em nível nacional, indicaram possuir planos deste tipo.

Em um País que tem demonstrado forte tendência de crescimento para os próximos anos, os 4% de brasileiros cobertos por planos de previdência privada são um indicador que demonstra de fato o potencial de crescimento que este mercado pode atingir.

Vale lembrar que a previdência oficial brasileira não tem capacidade de garantir aos futuros aposentados níveis de rendimento compatíveis com a perspectiva de uma terceira idade livre de percalços, especialmente para os trabalhadores que têm renda mais elevada. Desta forma, a necessidade de complementação de vencimentos a partir da poupança feita ao longo dos anos com investimentos em planos de previdência tende a tornar-se um costume entre os brasileiros.

Essa tendência consolidou-se, por exemplo, no ramo dos planos de saúde. Atualmente, 31% das famílias brasileiras investem em planos de saúde para garantir um atendimento médico e hospitalar de melhor qualidade. Tomando-se esse percentual como referência, podemos perceber o potencial de crescimento existente para os planos de previdência privada.

Também a cultura da previdência complementar estimulada pelas empresas é ainda incipiente em nossas terras. Em geral, as grandes corporações ou empresas estatais é que mantêm fundos de previdência complementar em parceria com seus colaboradores. Até pela própria perspectiva de crescimento da economia e conseguinte avanço na concorrência pelos melhores talentos do mercado de trabalho, a oferta de planos de previdência privada aos colaboradores deve configurar-se um benefício essencial para a atração desses talentos pelas empresas.

A efetiva transformação do potencial de crescimento do mercado previdenciário em oportunidades de negócios, de fato, depende de um processo de mudança de hábitos e de consolidação da consciência entre os brasileiros da necessidade de economizar para garantir um futuro estável. Porém as perspectivas que se abrem a partir do cenário econômico atual e da penetração pouco significativa em nosso País dos fundos de previdência privados são, sem dúvidas, grandes atrativos aos investimentos nesse setor.

Thiago Luiz Vincoletto é responsável pela área atuarial da BDO no Brasil, quinta maior empresa do mundo em auditoria, tributos e advisory services.

Na opinião deste editor, investir na previdência privada é mais do que realizar um investimento financeiro, é um ato de responsabilidade com o próprio futuro. A não ser que você acredite mesmo que o Governo vai cuidar de você na velhice.

 

feed Para acompanhar as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.