Academias competitivas e lucrativas

Projeto do Sebrae-MG orienta empresas a buscar diferenciais

academia_de_ginastica O Brasil é o 2º país com maior número de academias e o 7º em quantidade de frequentadores. Dos 16 mil estabelecimentos registrados no país, 1,2 mil estão em Minas Gerais, de acordo com a Associação Brasileira de Academias (ACAD/2009). Para aumentar a competitividade do segmento no Estado, o Sebrae-MG desenvolve projeto no Triângulo Mineiro para orientar empresários a melhorarem  a gestão dos negócios e fidelizar clientes.

Os principais problemas enfrentados pelo setor, segundo a ACAD, são a falta de qualificação e de estratégias para gerir o negócio. O projeto “Serviços de Atividades Desportivas” irá contribuir para diminuir os problemas que tiram o fôlego de muitos donos de academia.

Desde 2009, 24 academias e clínicas de fisioterapia de Patos de Minas, Patrocínio, Uberlândia e Araxá estão recebendo orientação sobre marketing, finanças, processo e RH e participando de missões empresariais a feiras do segmento. As consultorias estão ajudando os empresários na organização dos processos internos e no planejamento do negócio.

Um ano depois de participar do projeto, a empresária Suzirley Tomás Pereira, da academia Êxito Sport Center, em Uberlândia, já mede os resultados. Segundo ela, tudo que acontece na empresa é registrado, desde as questões financeiras e de RH até as jurídicas, o que possibilita maior controle sobre a evolução do negócio.

Ela também tomou algumas medidas em relação ao período de férias, na qual a evasão de alunos aumenta. De dezembro a janeiro e de junho a julho, a academia promove uma série de eventos beneficentes e competições esportivas.  Para oferecer mais comodidade aos clientes, a empresária também investiu cerca de R$ 60 mil em novos aparelhos e na ampliação de espaço.

Criatividade

Para o empresário Mauro Magalhães Maniglia, da academia Mergulho, em Araxá, criatividade e planejamento são primordiais para quem quer continuar no setor. Quando o aluno entra na academia ele recebe um material que explica sobre as atividades oferecidas, uma carta de boas-vindas, um certificado de compromisso e as ações que serão executadas nos próximos seis meses. Neste período são feitas avaliações físicas para mostrar ao aluno os resultados que obteve.

O empresário também implantou um sistema de gestão de saída, que identifica o porquê de o aluno ter deixado a academia. De acordo com ele, se o motivo for enfermidade, situação financeira ou climática, após alguns dias, o cliente é convidado a voltar a frequentar as aulas. A ação já recuperou 30% dos alunos que saíram da academia. Atualmente o número de clientes já chega a 1.300.

feed Para acompanhar as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.