3 Dicas infalíveis na retenção de talentos

Tenha um RH de Alto Impacto

retenção_de_talentos Retenção de talentos, este parece ser o termo que tem tirado o sono de muitos RHs. Quando um RH não consegue recrutar, não quer dizer que falta gente; quer dizer que falta gente qualificada, que teve acesso à Educação formal de qualidade e isto significa que sua equipe deve ser preservada à todo custo. Para ter sucesso, é preciso contar com 3 dicas preciosas.

Outro dia conversando com a diretora de RH de uma indústria alimentícia, me contava que o grupo tem 1.200 colaboradores e precisa atingir 1.400 para dar conta do aumento da produção. O desafio que pode parecer simples tem tirado o sono dela, além disto, seus principais colaboradores vem sendo assediados intensamente. Então, listei para ela três dicas essenciais na gestão de pessoas:

Programa de Benefícios: o programa de benefícios ou remuneração variável é um tema que vem ganhando espaço. Até pouco tempo atrás apenas os altos executivos levavam em conta o plano de previdência privada ou o seguro de vida oferecido pela empresa. Agora, com o brasileiro mais consciente de que deve planejar o futuro, estes itens tem chamado mais a atenção. O lado positivo é que o mercado oferece uma variedade enorme de benefícios que vão desde a ajuda na edução dos filhos, cursos de idioma, plano de saúde, odonto, etc. O lado negativo é que simplesmente oferecer o benefício não significa conquistar a fidelidade do funcionário. Imagine que o programa de benefícios é uma pizza, deliciosa, que você comenta com os amigos, mas que não impede você de experimentar a pizza de outros restaurantes. Aí entra a gestão do benefício que vai alimentar nosso próximo ingrediente.

Comunicação Interna: a comunicação interna envolve todo o processo de aculturamento do funcionário. É através dela que o público se revela, se conhece e se reconhece. Pode se utilizar de meios tradicionais como boletins e cartazes e também de ferramentas modernas como blogs, intranets e newsletters. Deve sempre ser dinâmica, fazer uso das informações obtidas na gestão dos benefícios e motivar novos comportamentos, mas ela não consegue ativar estes comportamentos. Usando o exemplo passado, é a publicidade da pizzaria que você tanto elogiou e só fica completa com o próximo ingrediente.

Formação de Lideranças: imagine o gerente da pizzaria ligando para você na sexta-feira, por volta de 15 horas, convidando a organizar o happy hour da empresa e oferecendo um atendimento vip para você e seus amigos. O convite pode até ser recusado, mas terá uma grande chance de acontecer. O contato pessoal tem a capacidade de ativar comportamentos e a formação de líderes tem este papel dentro das empresas. O líder de um setor é o primeiro a saber quando o funcionário está insatisfeito ou foi assediado, se ele está preparado para levar o discurso da empresa, apoiado pela Comunicação e fortalecido por um bom programa de benefícios… A fidelidade passa a ser um desafio acessível.

É claro que é sempre importante fazer uma auto-crítica. Há empresas que simplesmente não merecem os funcionários que possuem, nestes casos, estará sempre formando bons profissionais para outras empresas, nunca será líder de nada, muito menos referência em qualquer setor.

Mas se você é um gestor de pessoas de alto impacto, quer posicionar seu RH como parte importante no planejamento estratégico da empresa e ser decisivo nos resultados, tenha estas três dicas sempre em mente. Se tiver dúvidas, é só me escrever: [email protected]

 

feed Para acompanhar as atualizações basta assinar o Feed do Caminhando Junto, seguir pelo Twitter ou cadastrar seu e-mail, o serviço é totalmente gratuito.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.