Mãe mais ou menos

Existe aquele amigo mais ou menos, o profissional mais ou menos, mas não tem mãe pela metade. Porque para a mãe, gostar não basta, ela tem que amar, intensamente, incontidamente, irracionalmente. Amor de mãe não se explica, muito menos se entende. Para ela não importa se o filho é um político corrupto ou um traficante bem sucedido, se ele desfila cabelos excentricos no campo de futebol ou se é apenas o padeiro da esquina. Para a mãe, o filho é sempre o que há de mais valioso.
Ser mãe não tem relação com a biologia, tem relação com o sentimento. Basta ver as muitas mães que nunca pariram um filho, mas que abraçam suas crianças como se fossem pedaços do próprio coração.
Acredito que a maior lição que elas nos deixam é não ser pela metade. Mãe tem que ser escandalosa, intensa, extrema, amar por completo, chorar sim nos momentos mais felizes dos filhos, lembrar do jeito que cada um gosta da comida no prato, confundir os nomes na hora de dar bronca, de perdoar e acolher.
Por tudo que elas representam, o Caminhando Junto deseja a todas elas: Feliz Dia das Mães.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.