Os 50 anos da Capital do Rock


Canções explosivas e com recheio político, nunca antes vistos, vomitadas sem nenhum pudor. Assim, eram as canções dos grupos de Brasília, principalmente nos saudosos anos 80..E valeu a pena, pois aquela juventude pode expressar toda sua fúria sem constrangimentos. “Capital da esperança

(Brasília tem luz, Brasília tem carros).Asas e eixos do Brasil(Brasília tem mortes, tem até baratas)

Longe do mar, da poluição (Brasília tem prédios, Brasília tem máquinas) mas um fim que ninguém previu(Árvores nos eixos a polícia montada) (Brasília), Brasília Oh.. O concreto já rachou!”, gritaria a Banda Plebe Rude. Outras  duas músicas encaixam incrivelmente nesses 50 anos comemorados nesta semana. Primeiro “Música Urbana”, do Capital Inicial, composta por André Pretórios/Flávio Lemos/Renato Russo/Fê Lemos. Ela sintetiza tudo e exorciza o planalto central: “As ruas tem cheiro de gasolina e óleo diesel por toda a plataforma você não vê a torre… Não me importam os seus atos, eu não sou mais um desesperado, se ando por ruas quase escuras, as ruas passam….”.

            Outra canção comumente lembrada nestes 50 anos é “Que país e esse?”, do Legião Urbana. “Nas favelas, no Senado, sujeira pra todo lado. Ninguém respeita a Constituição mas todos acreditam no futuro da nação…” Mas para os mais curiosos lembro versos do Hino oficial de  Brasília: “Capital de um Brasil audaz, bom na luta e melhor na paz, salve o povo que assim te quis, símbolo da força de um país!”. Porém outro hino mais popular ficaria mais conhecido “Brasília, Capital da Esperança”: “Desperta o gigante brasileiro, desperta e proclama ao mundo inteiro, num brado de orgulho e confiança: nasceu a linda Brasília a capital da esperança”.

            É nossa música …Nossa história.

            Eduardo de Souza-Jornalista


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.