Como saber se sua empresa vai dar certo

O Sebrae-MG lança a versão 2.0 do software Plano de Negócio, mais funcional e didática, para facilitar a decisão do empresário de implantar ou expandir o negócio. O novo software tem navegação simplificada e é autoexplicativo. Nele, você consegue planejar o empreendimento por até cinco anos, com projeções financeiras, estimativas de custos, avaliação de cenários, forças, fraquezas, ameaças e oportunidades.

O novo software está disponível para dowload no site www.sebraemg.com.br. Depois de preencher o plano, os clientes podem encaminhá-lo pelo próprio site para análise de consultores do Sebrae-MG, que o devolvem em até 15 dias úteis.

O Plano de Negócio é um documento que descreve os objetivos de um negócio. Ao preenchê-lo, o empreendedor é levado a refletir sobre fatores determinantes para o sucesso do negócio: definição de clientes, fornecedores, avaliação de ponto comercial e do comportamento de concorrentes, entre outros aspectos.  Por tornar a idéia tangível, o plano diminui os riscos e as incertezas do investimento e é exigido por instituições financeiras para a análise de concessão de crédito.

Fator de sobrevivência

Ter clareza sobre o ramo de atividade escolhido é essencial para começar um negócio com segurança. O Plano de Negócio auxilia no passo a passo para a construção do empreendimento, considerando os pontos essenciais que devem ser observados e registrados.

Pesquisa do Sebrae (2007) sobre as principais causas de fechamento de empresas no Brasil mostra que, para 68% dos empresários das empresas extintas (68% deles), as falhas gerenciais são a principal razão para o encerramento das atividades. Entre as falhas apontadas estão: ponto comercial inadequado e desconhecimento do mercado.

No ano passado, o Sebrae-MG registrou mais de 29 mil dowloads da versão antiga do software Plano de Negócio.

::: Se você gostou deste artigo, pode assinar o nosso Feed e receber todas as atualizações.

 


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.