500 Prazeres Simples da Vida

“Nós, ocidentais, não estamos acostumados a sentar no chão. Você já parou para pensar há quanto tempo não senta no chão? As crianças sabem o que é bom e estão sempre ali, sentadas no chão. O simples fato de permanecermos sentados no chão, em contato com a energia do solo, faz-nos sentir que podemos moldar nossa vida e até torná-la maravilhosa. Percebemo-nos capazes de sentar como rei ou rainha em um trono. A majestade dessa situação revela-nos a dignidade que há em sermos tranquilos, simples e humildes. Sentar-se no chão de modo ereto possibilita a abertura do peito, de modo que você consegue respirar livremente.”

A frase acima é parte do livro 500 Prazeres Simples da Vida, do documentarista e escritor, Fábio Lamachia, e pode até parecer bobagem, mas quando prestamos atenção ao dia-a-dia percebemos o quanto a vida está carente de coisas simples. Por isto, o jornalista, Eduardo Souza, editor de cultura do Caminhando Junto e adepto de uma vida simples, bateu um papo com o autor.

 

Eduardo :: Podemos considerar que os orientais estão mais avançados espiritualmente para observar as coisas simples da vida? Por exemplo, quando uma criança nasce logo que possível eles a colocam perto de uma árvore ou pedem para abraçá-la.

Fábio Lamachia :: Sem dúvida nenhuma. Os orientais ainda guardam diversos valores dos seus ancestrais. Fazem refeições sentados no chão, numa posição favorável ao equilíbrio do corpo, respiração… . E também se alimentam mais saudavelmente do que os ocidentais. São bastante apegados a religiões, meditam e fazem yoga. Destacam-se também em inúmeras técnicas naturais de relaxamento e cura de doenças como acupuntura, do-in, shiatsu, reiki, e muitas outras.

Eduardo :: Terapias alternativas (principalmente orientais)  não deveriam estar mais difundidas pois normalmente são mais baratos que métodos convencionais?

Fábio Lamachia :: Claro que sim! As terapias alternativas a cada dia que passa conquistam mais e mais o seu merecido espaço no ocidente. Basta acreditarmos que realmente funciona. As terapias alternativas estão ai para gerar o equilíbrio físico e espiritual.

Eduardo :: Sua expectativa é que tenhamos num futuro próximo pessoas mais voltadas para os fatores simples da vida ou a tendência é a escravização através do consumismo?

Fábio Lamachia :: Penso que as pessoas já estão começando a parar para pensar no assunto principalmente em países desenvolvidos.  

Eduardo :: Se você se deitasse e ficasse olhando para as nuvens no céu e lá descobrisse mundos incrivelmente fantásticos correria para abraçar seu filho? Convidaria um amigo(a) para sentir a mesma emoção? Ou se fecharia dentro de você e simplesmente curtiria o momento?

Fábio Lamachia :: Se desse tempo faria tudo isso, pois dividir uma emoção gera muito prazer. Se sentisse que esse era um momento só para mim, curtiria sozinho numa boa.

Eduardo :: Qual o maior prazer que já experimentou?

Fábio Lamachia :: Sem sombra de dúvidas foi o nascimento de minha filha. Mas tiveram outros inesquecíveis como vê-la amamentar e sorrir. Já vivi momentos de intenso prazer interior numa simples fogueira, caminhando sozinho na praia, salvando um animal, fazendo as pazes com alguém… 

 

Para entender melhor o sentido da conversa dos dois, só mesmo lendo o livro.

E para você? Quando as coisas simples dão mais sabor à vida?

Sobre o autor

Fábio Lamachia 35 anos, paulistano, formado em Marketing, documentarista e autor dos livros: "Sonho Verde – Aventura num garimpo de esmeraldas", “Pedras Preciosas do Brasil" e "Meu Chapa – Aventuras pelo Brasil com um cão muito louco". Atualmente trabalha na adaptação de seu primeiro livro para o cinema. É amante fervoroso da natureza e de Lorena, sua linda filha de 3 anos.

Serviço

500 Prazeres Simples da Vida

Páginas: 296

Preço: R$ 34.90

Colaborou para este artigo a RP, Maira Manesco.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.