Dica para conquistar a vaga de emprego

Não se trata de um mito que a época mais propícia do ano para encontrar um novo emprego é o primeiro trimestre. Não somente porque algumas pessoas querem resolver promessas de Ano Novo, mas também por estar comprovado que neste período as empresas contratam mais. Segundo dados da Catho Online, de janeiro a março há um aumento no número de vagas disponíveis no mercado, nas mais diversas categorias profissionais.

Um fator importante para este cenário é que, em geral, as organizações brasileiras iniciam o ano fiscal em janeiro e os novos budgets permitem a contratação de mais profissionais. Por isso é um erro esperar o carnaval para começar a procurar emprego. Quem agir dessa forma pode perder grandes oportunidades.

Mas não basta apenas ser qualificado para a vaga pretendida e estar disponível para entrevistas. É preciso que o profissional cuide de sua imagem, que também é refletida na forma e no conteúdo de seu currículo. Uma apresentação adequada do currículo é o primeiro passo para que a busca seja bem-sucedida. 

Dicas simples de formatação do currículo, mas nem sempre seguidas pelos candidatos, podem ser decisivas para a participação ou não de um profissional num processo seletivo. Alguns erros são imperdoáveis e desclassificatórios na pré-seleção dos currículos.  Jamais fale mal dos ex-empregadores, cometa erros de português ou adjetive suas qualificações, com expressões e palavras como bonito, boa aparência, ambicioso, inteligente e persistente, por exemplo. Não use letras coloridas, bordas e fundos com desenhos e grafismos. Também é importante não usar um endereço de email informal ou com palavras inadequadas para um relacionamento profissional com uma corporação. De preferência crie um com seu nome e sobrenome ou variações neste sentido.

Seguindo estes passos, desenvolva seu currículo de forma sucinta – até duas páginas –, com objetivo profissional claro e uma síntese de suas qualificações com, no máximo, sete frases que traduzam de forma inequívoca suas habilidades e potenciais.

Depois de pronto, é fundamental disseminá-lo de forma estratégica e assertiva para que seja recebido pelas corporações e empregadores de interesse.  Para isso, há três maneiras que são mais eficientes: procurar as vagas em classificados impressos e online; cadastrar-se nos links “Trabalhe Conosco” dos sites das empresas; e ter uma boa rede de relacionamento – contatos com ex-colegas de trabalho e faculdades, participação em cursos e eventos – e até mesmo virtualmente em sites de relacionamentos profissionais como o Linked IN (www.linkedin.com).

O último passo desse processo é estar preparado para as dinâmicas e para as entrevistas. Quando for chamado para concorrer a uma vaga estude a empresa, seus negócios e particularidades. É preciso demonstrar equilíbrio na vida pessoal e profissional e se mostrar com energia e garra para assumir novos desafios.

Durante toda a conversa mantenha o celular desligado, não use gírias e nem seja monossilábico em suas respostas, mas também não fale mais do que o entrevistador. O ideal é criar empatia com o recrutador, porém sem criar intimidade. Olhar nos olhos e não gesticular excessivamente demonstra segurança do candidato.

Se não obtiver uma resposta sobre o processo seletivo depois de uma semana da entrevista, não há problema se o candidato ligar para a empresa para saber se a vaga continua aberta. E, após o fechamento da vaga, se não for selecionado, o candidato pode entrar em contato com o selecionador para pedir um feedback.

O mercado está aquecido e na melhor época para a recolocação. Entretanto, não bastam haver vagas, é preciso que haja candidatos preparados para concorrer a elas.

Adriano José Meirinho é diretor de marketing e comunicação da Catho Online

 

 

 

 


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.
Categorias: emprego 1 comentário