Patrocínio de projetos: Lojas Renner e CEEE vão investir R$ 1 milhão

Até o dia 30 de novembro, as entidades poderão enviar

projetos sociais para candidatarem-se aos recursos

  

A Lojas Renner e o Grupo CEEE unem-se em prol do desenvolvimento social e lançam o edital que vai formalizar o investimento de R$ 1 milhão no bairro Bom Jesus, em Porto Alegre (RS), por meio da Lei da Solidariedade, da Secretaria da Justiça e do Desenvolvimento Social (SJDS). Até o dia 30 de novembro, as entidades poderão enviar projetos para candidatarem-se aos recursos, através do endereço eletrônico [email protected].

Os projetos devem promover a inserção da comunidade no mercado de trabalho através da capacitação e qualificação de grupos produtivos ou viabilizar a integração de crianças e jovens em situação de vulnerabilidade social em programas que proporcionem melhora da qualidade de vida. Não há valor pré-definido para cada projeto e o prazo máximo de execução deve ser de dez meses.

“A relação com a comunidade e o compromisso com o seu desenvolvimento fazem parte das diretrizes corporativas da Lojas Renner, implementadas através do Instituto Lojas Renner. Com esta parceria, além de apoiar projetos que irão fomentar a economia do bairro Bom Jesus, a Companhia atuará como articuladora, estimulando o diálogo sobre as questões sociais locais por representantes de vários setores da comunidade”, afirma José Galló. Os projetos que receberão apoio serão anunciados em janeiro de 2010.

Para o presidente do Grupo CEEE, Sérgio Campos de Morais, a iniciativa é parte do esforço da Empresa em adotar ações que visem melhorar o ambiente social, na qual está inserida. Dentre os programas desenvolvidos estão oPLC – Power Line Communication no bairro Restinga, em Porto Alegre, que conecta à internet, pela rede elétrica, alguns pontos locais; o Projeto Pescar, que possibilita a inclusão social de jovens carentes, através da formação pessoal e profissional; o Projeto Semear que promove o plantio de frutas, verduras e legumes sob as linhas de transmissão, nas faixas de servidão, entre outros.

 

Bairro Bom Jesus

O bairro Bom Jesus é habitado por mais de 30 mil moradores. Grande parte das famílias tem seu sustento no recolhimento, na separação e na comercialização do lixo. Crianças e adolescentes acompanham seus pais nas carroças e carrinhos de coleta de resíduos, ocasionando baixa do rendimento escolar e, muitas vezes, a evasão da escola.

A renda familiar obtida com este trabalho, no entanto, não é suficiente, do ponto de vista econômico ou social, para que as famílias possam sanar suas vulnerabilidades. Tampouco pode transformar a realidade econômica do bairro.

Segundo estatística levantada em março de 2006 pela Fundação de Assistência Social e Cidadania (FASC), 80% dos jovens infratores (de 08 a 18 anos) recolhidos no centro da capital são moradores da região da Grande Mato Sampaio, onde se localiza o bairro Bom Jesus. Os fatores responsáveis por essa estatística envolvem deficiência da estrutura familiar, social e econômica, fragilidade da relação escola-comunidade e insuficiência de programas locais para a formação de crianças e adolescentes.

 

 

Lei da Solidariedade

Este projeto integra ação do Governo do Estado do Rio Grande do Sul que busca a aproximação de empresas com iniciativas do terceiro setor. Os incentivos vêm da Lei da Solidariedade: o setor privado entra com 25% dos recursos e o governo completa com 75% restantes com renúncia fiscal do ICMS.

 

 

 


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.