Brasileiros mais preocupados em poupar dinheiro

Os brasileiros começam a abrir os olhos para a importância de poupar. Segundo uma pesquisa da LatinPanel, 56% dos lares do País pretendem guardar uma parte de seus ganhos em 2009. Isso significa um aumento de 27 pontos percentuais em relação a 2008. Apesar desse crescimento, o Brasil ocupa apenas a nona colocação no ranking da América Latina, que é liderado pela Colômbia, onde 79% dos lares têm intenção de poupar este ano, ante apenas 46% em 2008. Em segundo lugar vem o Peru, que pulou de 44% no ano passado, para 70% este ano. A Bolívia ficou em terceiro, saltando de 39% para 67%. Já a Argentina seguiu o caminho oposto. Nossos vizinhos, que viram 42% de seus domicílios relatarem que pretendiam guardar parte de seus ganhos em 2008, registraram uma queda de 13 pontos percentuais em 2009.

Ainda de acordo com pesquisa, 57% dos domicílios da América Latina como um todo pretendem poupar em 2009, um crescimento de 11 pontos percentuais em relação a 2008. Dentre as prioridades para os latinos que se preocupam com o futuro, 48 % dos entrevistados irão guardar o dinheiro para emergências futuras. Outros 17% pretendem reformar a casa, 13% querem comprar a casa própria e mais 8% irão investir em educação.

No Brasil, as prioridades são, pela ordem, reserva para emergências futuras (52%), reformas na casa (23%), compra casa própria 17% e investimento em educação (6%).

Universo da Pesquisa

O estudo da LatinPanel ouviu 9 mil domicílios entrevistados em 16 metrópoles de 15 países da América Latina (Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, México, Peru, Venezuela, Guatemala, Panamá, Nicarágua, El Salvador, Costa Rica e Honduras).

A LatinPanel é uma gigante mundial em questão de pesquisa, mesmo oferecendo um blog muito fraco, desatualizado e sem nenhuma interatividade, suas informações são valiosas e contribuem com muitos profissionais. Vale à pena ficar atento.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.