Dicas para se comportar bem com o cliente

Sabia que mesmo antes de cumprimentar seu cliente, você já está enviando mensagens para ele? Nalini Ambady, psicólogo da Universidade de Harvard, observou um fato interessante. Depois de mostrar vídeo clips de dez segundos de professores em aula para seus alunos—pediu que opinassem sobre cada um daqueles mestres. O que descobriu foi incrível. As avaliações dos alunos que tinham visto aqueles professores por apenas dez segundos se assemelhavam às dos alunos que tinham estudado com eles por todo um semestre. Portanto, ele concluiu que, em questão de segundos, somos capazes de influenciar os outros, mesmo antes de dizer nosso primeiro “Oi”. Tudo tem influência na forma com que somos percebidos, principalmente a aparência. Como passar uma primeira boa impressão para nossos clientes?

Procure, em primeiro lugar, passar uma boa impressão para você mesmo. Isso começa em casa, antes de sair para o trabalho. Alguns momentos de respiração profunda e de silêncio, seguidos de visualização criativa são fundamentais. Veja as coisas que deseja de seu dia, escute os deliciosos “sims” de seus clientes e sinta o sabor da vitória.

Caminhada ou algum tipo de exercício físico, além de tonificar os músculos, injeta doses abençoadas de endorfina no cérebro—o que nos faz sentir maravilhosamente bem. Depois do exercício—nada melhor que um banho energizante.

Alimentação: faça amizade com as frutas pela manhã. Se ainda não tem, adquira o hábito de tomar suco e comer algum tipo de fruta antes de seu café com leite e pão com manteiga.

Saia de casa como um vencedor. Para isso, procure vestir-se da melhor forma possível. Sapatos engraxados, roupa alinhada. Dependendo do produto que vende, é importante o terno para os homens e um conjunto elegante e discreto para as mulheres.

Agora que você já está na rua, irradie otimismo para todos. Até para aquele mendigo que lhe pede uma esmola. Tenha um sorriso e uma ajuda legal preparada para ele. Ao dar, você estará recebendo. Olhe bem nos olhos daquela pessoa, perceba a gratidão e sinta o sorriso daquele irmão dentro de sua alma.

Seja otimista. Acredite que todos os contatos serão benéficos, mesmo que não venda na sua primeira visita, agradeça à pessoa e a Deus, como se tivesse vendido. O agradecimento, além de gerar mais otimismo, predispõe o Universo a seu favor. Gratidão atraia prosperidade.

Em geral, o otimista é percebido também como inteligente, agradável e bem-sucedido, portanto, evite qualquer tipo de pensamento ou comentário que não seja construtivo, agradável e altamente positivo.

Crie um escudo protetor otimista à sua volta e retorne os comentários pessimistas que, por acaso ouvir, sobre a economia, política, futebol, negócios, etc., com a seguinte observação: “Até há pouco tempo eu também pensava assim. Achava que meu sucesso dependia de coisas externas à minha pessoa. Mas agora não, eu tenho certeza que os meus resultados, dependem muito mais de meu empenho e de meu entusiasmo do que da política, economia ou outras coisas”.

Acompanhe as pessoas com a sua linguagem corporal. Suavemente imite os movimentos delas e escute com atenção plena. Não existe nada que o ser humano mais deseje do que ser compreendido. No fundo, no fundo, o que o cliente quer mesmo é atenção.

Valorize seus clientes. Observe o ambiente que o cerca e faça comentários sinceros sobre o bom gosto da mobília, dos quadros, etc. Procure, e você achará algo para elogiar. Ao tomar conhecimento de algum acontecimento feliz na vida de seu cliente (premiação, promoção, time dele ganhou o jogo de domingo, etc.) dê-lhe os parabéns.

Traga em sua bagagem várias doses dose de bom humor. Prepare algumas piadas de bom gosto para contar. Seja bem humorado e faça as pessoas sorrirem. O sorriso e a alegria são contagiantes e desarmam as pessoas. É muito mais fácil vender para pessoas felizes.

Zele pelo seu maior tesouro: sua reputação. Comporte-se de forma impecável, seja sincero, honesto e ético nos negócios. Lembre-se: seu nome chega antes de você!

Fonte: Souki Motivação & Marketing
www.souki.com.br


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.