Revolucionários da música: se unam pela ternura

Muitas pessoas buscam força no amor quando estão amarguradas para tentar algo novo para sua vida, seu trabalho, sua família. Outros buscam no sexo, na fama, no dinheiro e até nas drogas. Nós amantes da música fazemos dela nosso ponto de apoio. E sempre tem uma música que combina com alguma emoção ou um momento de prazer ou de raiva. Tem gente que vai mais fundo e tenta mudar um país e o mundo através das canções. No exterior, temos vários exemplos como John Lennon, Bob Dylan, entre outros que são reconhecidos. No Brasil nem todos sabem da existência de um cantor e compositor chamado Taiguara que nasceu em 1945 e faleceu em 1996, deixando inúmeras obras de teor revolucionário.
Considerado um brasileiro de coração por muitos, ele é uruguaio de Montevidéu, e veio para o Brasil com 4 anos de idade, morando primeiro no Rio e mais tarde em São Paulo. Na juventude como universitário, participou de festivais e começou a compor. Abandonou a faculdade e ingressou como cantor no Sambalanço Trio. Na década de 60 foi baladeiro como Elton John e experimental ao lado de Hermeto Pascoal. A mudança viria durante a ditadura militar, quando teve diversos problemas com a censura. Um fato que chama muito a atenção é que em certo momento para conseguir liberar faixas dos seus discos dava a autoria das músicas para sua esposa. Sempre me pergunto como é possível que alguém com a representatividade de Taiguara, com a sensibilidade para escrever poesias maravilhosas pode ficar tão esquecido?

Revolucionários

No final dos anos 70’s, Luis Carlos Prestes convidou Taiguara para um churrasco em sua casa após ter voltado do exílio e ficou seu amigo até a morte. Prestes, tornou Taiguara um militante do Partido Comunista da linha “PRESTES” e ele fazia shows de solidariedade a favor do crescimento dessa linha de ação e pensamento. Ele homenageou o amigo com a canção “O Cavaleiro da Esperança” e era presença indispensável em todas as suas comemorações e ações.
Os amantes da canção são cavaleiros da esperança que lutam para se manter na corda bamba da vida e fazem de tudo para melhorar a vida daqueles que convivem. Não sou poeta, mas nós todos merecemos mais momentos de ternura e doçura para minimizar as agruras do dia-a-dia.

O CAVALEIRO DA ESPERANÇA (Taiguara)
Quem só espera nunca alcança,
Mas quem não sabe esperar
Erra demais, feito criança
Cai. E até se entrega ou trai.
E cansa de lutar!
O Cavaleiro da Esperança
Faz a hora acontecer
Afia a espada
E abraça a lança,
Mas combate pela paz
Pra gente não morrer
É Ogum Guerreiro. É Oxossi
Prestes a encontrar
Uma estrela d’alva para nos guiar
É soldado alerta. É São Jorge
Prestes a enfrentar
O dragão do mal
Que quer nos matar
Quem só espera não alcança,
Mas quem não sabe esperar
Erra demais, feito criança
Cai. E até se entrega ou trai.
Se cansa de lutar
O Cavaleiro da Esperança
Faz a hora acontecer
Faz punho armado
E faz pujança,
Mas combate pela paz
Pro povo não morrer
Pois Ogum Guerreiro não morre
Prestes a encontrar
Uma estrela dalva para nos guiar
É soldado alerta. É São Jorge
Prestes a enfrentar
O dragão do mal

Eduardo de Souza é jornalista, cantor, compositor e também combate pela esperança e pela ternura.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.