Projetos educacionais de Minas são finalistas no Prêmio Tecnologia Social

Dois projetos educacionais desenvolvidos em Belo Horizonte estão entre os 24 finalistas do Prêmio Tecnologia Social, divulgados em Brasília pela Fundação Banco do Brasil. Na categoria Região Sudeste, o projeto “A Célula ao Alcance da Mão”, do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é um dos finalistas. O estado também concorre na categoria “Direitos da Criança e do Adolescente e Protagonismo Juvenil”. A experiência “Comunicação participativa juvenil para o desenvolvimento comunitário”, da Associação Imagem Comunitária, disputa a premiação final.
A tecnologia social da UFGM no Projeto “A Célula ao alcance da mão” nasceu em sala de aula. Estudantes com deficiência visual que entraram no curso tinham dificuldade nas aulas práticas de Citologia e Histologia. Para solucionar o problema, foram produzidas réplicas do organismo humano em dimensões de tamanho grande e pequeno. O material é esculpido em gesso e resina metálica. Os alunos têm a possibilidade de utilizar as mãos para reconhecer as estruturas do corpo humano. Nos últimos dois anos, as peças produzidas já beneficiaram 390 deficientes visuais.
A outra tecnologia social indicada ao Prêmio da Fundação Banco do Brasil utiliza o acesso à comunicação pública para promover a inclusão social de jovens carentes. Uma das iniciativas da experiência “Comunicação participativa juvenil para o desenvolvimento comunitário” foi a criação da Agência de Comunicação Solidária. A organização de uma página mensal no caderno “Eu Acredito!”, do Jornal Hoje em Dia, é resultado direto desta ação. Até o momento, 7 mil jovens já participaram desta experiência.

Prêmio

O Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social acontece a cada dois anos. A iniciativa identifica, certifica, premia e divulga produtos, técnicas ou metodologias que se enquadrem no conceito de ‘tecnologia social’. São premiadas soluções sociais em diversas áreas: alimentação, educação, energia, habitação, meio ambiente, recursos hídricos, renda e saúde. As tecnologias sociais avaliadas devem ser efetivas, reaplicáveis e propiciar desenvolvimento social em escala. Um dos melhores exemplos são as cisternas para captação de água da chuva para consumo.

Inicialmente, 114 experiências foram certificadas pela Fundação. Os critérios avaliados são mérito, efetividade e resultados alcançados. A premiação final das 8 tecnologias sociais ganhadoras ocorre no dia 24 de novembro. Cada vencedor receberá R$ 50 mil para expansão, aperfeiçoamento ou reaplicação da nova tecnologia. Na mesma data, os 24 finalistas receberão o troféu ‘Finalista do Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social – Edição 2009’.

A lista completa dos 24 finalistas está disponível no endereço http://www.fbb.org.br/

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.