Como escolher a franquia certa?

Prestando assessoria na área de franchising, há mais de 12 anos, meus clientes ainda me fazem a seguinte pergunta: como escolher a franquia certa? Essa é uma resposta que só posso dar avaliando cuidadosamente o momento do mercado e principalmente o meu interlocutor, pois a melhor franquia para as necessidades de um investidor pode não ser a franquia mais adequada para outro.
Mas, afinal, com dezenas de ofertas que o mercado oferece quais são as chances reais que um futuro franqueado tem em acertar na escolha de uma rede de franquias?
Não existe uma regra capaz de anular totalmente os riscos que todo novo investimento trás consigo. Mas, com certeza, esses riscos diminuem consideravelmente se a escolha for orientada por pesquisa e uma análise com conhecimento técnico e sensibilidade.
Sempre que minha empresa é contratada para realizar esse trabalho, além de analisarmos redes franqueadoras sob aspectos legais, financeiros e operacionais, focamos em primeiro lugar as necessidades e o perfil do investidor. O objetivo dessa análise de mercado é oferecer, além de uma rede sólida, um negócio que atenda o futuro franqueado nos quesitos satisfação pessoal, profissional e retorno financeiro adequado.
Destaco a seguir, algumas dicas fundamentais para o investidor que pretende se tornar um franqueado, que deverão ser levantadas ao iniciar o processo de escolha de uma franquia:
– O interessado possui o perfil ideal para ser realmente um franqueado de sucesso? Nesse aspecto, é fundamental avaliar sua capacidade para empreender e seguir regras.
– Quais os segmentos com os quais o futuro franqueado se identifica? É preciso avaliar em que áreas ele se sentirá orgulhoso e terá prazer em se associar a um negócio.
– Qual o capital disponível para a franquia? É fundamental avaliar a disponibilidade financeira não só para o investimento inicial, mas reservar um valor para o capital de giro e para imprevistos que possam acontecer.
– Quais as marcas que estão em ascendência e possuem potencial para um crescimento de mercado sólido no país? Esta é uma análise que, para ser realizada, são fundamentais a sensibilidade e a vivência no segmento de franchising.
– Definir com quantos e quais franqueados da rede analisada é necessário conversar. Que tipo de abordagem deverá ser feita? Essa é uma pesquisa essencial durante o processo de escolha de uma franquia.
– A empresa possui a COF (Circular de Oferta de Franquia) e toda a documentação exigida por lei? E como deve ser feita a análise desse documento? A franqueadora possui pendências judiciais? Esse processo exige conhecimento jurídico especializado em franchising e empresarial do setor.
– Qual o resultado da análise dos demonstrativos de resultados e balanços apresentados pela empresa? Essa é também uma análise técnica que precisa ser feita.
Após obter subsídios suficientes para responder com tranqüilidade a todas as questões acima, o futuro franqueado estará a um passo de se tornar um empreendedor de sucesso.
Minha expertise no conteúdo franchising confirma a importância desta análise aprofundada, que dará ao investidor uma correta dimensão sobre onde seu capital será investido, com toda a sustentabilidade necessária para não deixar o sonho se transformar em frustração.
A sugestão mais adequada é buscar orientação profissional especializada a fim de garantir o tão esperado retorno do capital, do esforço despendido e, principalmente, da concretização de um projeto vitorioso.
Vale lembrar ainda que não existe a franquia certa ou a melhor franquia para se investir e sim a franquia mais adequada para cada objetivo pessoal, profissional e … para o bolso do investidor. O mercado de franchising vem crescendo a cada ano e oferecendo oportunidades para os investidores crescerem com ele. Basta realizar a escolha de forma consciente e seguir orientações de profissionais especializados nesse mercado.
Patrícia Barreto Gavronski é empresária, sócia do Grupo Machado, especializada em consultoria em novos negócios e franchising, planejamento jurídico e tributário. ([email protected])

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.