BH recebe a partir de hoje o Festival Internacional de Cinema Infantil

Belo Horizonte recebe, hoje, 18 e 27 de setembro, a programação itinerante da sétima edição do Festival Internacional de Cinema Infantil (FICI), que percorrerá também outras oito cidades brasileiras. O Festival acontece exclusivamente nos cinemas da rede Cinemark, onde serão exibidos, com ingressos a R$ 4,00, mais de 15 filmes, entre títulos inéditos, clássicos, debates e sessões com dublagem ao vivo, tudo preparado especialmente para as crianças.

‘Não existe no mundo um festival de cinema infantil com esta proposta abrangente de inclusão dos pequenos espectadores ao universo do cinema. Temos o cuidado de selecionar filmes para várias faixas etárias, de técnicas e conteúdos bem diversificados, sempre com o auxílio de uma pedagoga’, conta Carla Esmeralda, que dirige o evento com a cineasta Carla Camurati. Entre as novidades que a dupla preparou para este ano está a mostra Novos Jovens, com três longas voltados para adolescentes e um programa de curtas, o Panorama Teen. Em Belo Horizonte o FICI é coordenado pela Rubim Projetos e Produções.
Pela segunda vez, o Prêmio Brasil de Cinema Infantil contemplou os melhores curtas nas categorias Melhor Animação para “Josué e o Pé de Macaxeira”, de Diogo Viegas e Melhor Ficção para “A Menina Espantalho”, de Casio Pereira dos Santos. Dos 123 filmes inscritos, 13 disputaram o prêmio.
Fora da mostra competitiva, o festival vai celebrar os 120 anos de Charles Chaplin com a exibição de uma das cópias restauradas de ‘O Garoto’ que terá somente uma exibição em Belo Horizonte no dia 19 de setembro, às 14:30h, e também mostrará uma versão recuperada de ‘As Aventuras do Príncipe Achmed’, o primeiro longa de animação feito por uma mulher, no caso a alemã Lotte Reiniger, em 1926. BH é das poucas cidades que os receberão.
A sessão de dublagem ao vivo – sempre lotada com pais e filhos que se divertem com as bem-humoradas intervenções de atores ao longo do filme – que na cidade será com o filme ‘Os Três Ladrões’ (Alemanha, 2007).
Outro evento muito disputado no festival é a sessão Pequeno Jornalista, em que jornalistas convidados explicam para as crianças como é feita uma matéria, entrevista ou crítica cinematográfica. O filme escolhido para esta discussão é ‘O Segredo de Kells’ (Irlanda, França e Bélgica, 2009), uma belíssima animação que terá sua pré-estreia no FICI e foi parcialmente produzido no Brasil, pelo estúdio de animação Lightstar Studios.
O festival também embarcará nas comemorações do Ano da França no Brasil, ao celebrar o veterano animador francês Michel Ocelot, com a exibição de ‘Príncipes e Princesas’ (1999) e ‘As Aventuras de Azur e Asmar’ (2006). Apesar de nascido na Côte d’Azur, Ocelot foi morar aos seis anos em Guiné, Oeste da África, fato determinante para sua obra, repleta de referências a outras culturas, em especial a africana.
Este intercâmbio com outros universos culturais está presente ainda em duas sessões do festival, em que curtas sobre lendas e histórias tradicionais serão exibidas. Trata-se de ‘Histórias Preciosas’, seqüência de animações russas sobre antigas histórias baseada na tradição oral dos povos que habitavam o país; e também de Juro que Vi, série de premiadas animações produzidas pela MultiRio, que inclui um filme inédito, ‘O Saci’.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.