Quando eu era filho achava que sabia de tudo

Nunca fui um filho muito grudado, de ficar o tempo todo em volta dos pais ou coisa assim. Acostumei-me a estar longe, viajando, estudando ou trabalhando. Como naquela época ninguém sabia o que era um celular, as conversas aconteciam no orelhão ou no telefone de alguém e, por serem caras, as conversas não eram tão freqüentes.
Isto me dava a sensação de que era desnecessário dizer, acreditava que o sentimento era implícito, que meus pais deveriam saber o quanto eu os amava e respeitava, mesmo sem colocar tudo isto em palavras. Hoje, é minha vez de ser pai e entender o outro lado da moeda.
E como ela é diferente do que pensava… Claro que sempre me lembro disto quando esqueço de dizer a minha filha o quanto a amo, mas me sinto muito bem quando ela me diz ou quando demonstra carinho ou se preocupa porque não pude almoçar. A demonstração de carinho de um filho para o pai é algo mais do que especial, nem de perto se compara ao afeto de uma companheira ou companheiro, não há comparativo para isto.
Passei boa parte da vida perdendo a chance de fazer com que meus pais sentissem isto e agora que posso experimentar, sei quanto os privei de se sentirem felizes. Por isto, se você é filho, saiba que o momento de dar carinho é agora porque talvez quando você descobrir o valor dele seja tarde demais. Então, não perca tempo, aproveite o Dia dos Pais e o abrace, não precisa presente, não precisa dizer nada, apenas olhe nos olhos dele e sorria.
Feliz Dia dos Pais.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.