ONU: lança o primeiro game humanitário

A ilha de Sheilan, no oceano Índico, foi declarada oficialmente uma zona de desastre. A guerra civil destruiu vilas e estradas e há minas espalhadas por toda a parte, prontas para explodir. Além disso, alterações climáticas afetaram drasticamente o meio ambiente e o país enfrenta a pior seca de sua história. Grande parte da população não tem sequer o que comer e sua esperança é o PAM – Programa Alimentar Mundial, a agência de combate à fome da Organização das Nações Unidas (ONU).
Esse é o enredo de Food Force, primeiro jogo humanitário para computador e desenvolvido pela italiana Deepend especialmente para o PAM. No Brasil, Food Force chega pelas mãos da Positivo Informática. Foi traduzido para o português pela Universidade Positivo, está disponível para download no site http://www.foodforce.com.br/ e também gratuitamente em computadores Positivo (desktops e notebooks) com sistema operacional Windows. A Positivo é a primeira empresa do mundo a embarcar o Food Force nos seus produtos para todo o País.
Criado pelo próprio PAM, Food Force simula uma situação que, infelizmente, é bem real. Estima-se que 25 mil pessoas morram de fome diariamente. “Contrário aos tradicionais videogames carregados de violência, o Food Force representa uma alternativa de entretenimento saudável para crianças e jovens, ao mesmo tempo em que mostra, de modo interativo, o que se faz e o que é necessário fazer para erradicar a fome no mundo”, diz Pedro Medrano, diretor regional do PAM para América Latina e Caribe.
Food Force conta com todos os recursos de um bom jogo para computador. O usuário se une à equipe do PAM para ajudar os habitantes de Sheilan, que inclui a especialista em logística Rachel Scott, o nutricionista Joe Zaki e o piloto Carlos Sanchez. Com a ajuda deles, o jogador enfrenta seis missões, que reproduzem, de maneira simplificada, o modus operandi do PAM.
A primeira missão é localizar onde estão as pessoas que precisam de alimentos. Em seguida, o jogador tem de criar porções de alimentos com arroz, feijão, óleo vegetal, açúcar e sal iodado em quantidade suficiente para alimentar uma pessoa por dia. Na terceira missão, é feita a distribuição emergencial de alimentos por via aérea. O próximo passo é localizar e encaminhar doações mundialmente para alimentar um milhão de famintos em Sheilan durante seis meses. Com esses alimentos em mãos, é hora de distribuí-los por terra, enfrentando guerrilheiros, campos minados e pontes destruídas. Na sexta e última missão, o jogador ajuda a população a atingir a autossuficiência em produção de alimentos, balanceando a distribuição de comida entre projetos de educação, saúde e treinamento, por exemplo.
O jogador pode enviar sua pontuação via internet para um ranking mundial. Isso estimula a criança a jogar novamente para melhorar sua colocação.
Vídeos que mostram o PAM em ação podem ser vistos entre as missões, o que torna o game ainda mais realista e instigante. “Acreditamos que Food Force incentivará as crianças e os adolescentes a terem atitudes mais responsáveis em relação ao meio ambiente e ao futuro. Por meio do game, eles unem entretenimento à educação e certamente têm a chance de se tornar cidadãos ainda melhores”, finaliza Rotenberg.
Veja o trailler

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.