Sua empresa precisa de um empurrãozinho? Então, aproveite esta chance.

A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia, lançou a quarta etapa do Programa AL-Invest, que investirá 18,7 milhões de euros para promover a internacionalização de pequenas e médias empresas da América Latina, com o apoio de parceiros europeus.
Essa fase do programa, que se estenderá até 2012, será implementada por três consórcios regionais gerenciados por instituições que apoiam empresas de vários países da região, entre elas, a CNI (Confederação Nacional da Indústria).
Desde o início do Programa AL-Invest, mais de 87 mil empresas, de cerca de 25 setores comerciais, foram beneficiadas. A União Europeia já injetou 144 milhões de euros em projetos, o que se traduziu em mais de 500 milhões de euros em negócios e investimentos intrarregionais.
O gerente executivo de Comércio Exterior da CNI, José Frederico Alvarez, explica que, para conquistar o direito de utilização dos recursos, as empresas interessadas devem encaminhar suas propostas à rede de Centros Internacionais de Negócios, instalados em todas as federações de indústria do país.
A CNI coordenará o consórcio Internacionalização e Competitividade das Pequenas e Médias Empresas do Mercosul, do Chile e da Venezuela, que receberá a subvenção de 18,7 milhões de euros da UE – com uma contrapartida de 20% – para executar projetos que se enquadrem nas linhas básicas do programa.
O programa prevê a participação em eventos internacionais, encontros de negócios e troca de experiências no que se refere à internacionalização com instituições europeias e capacitação gerencial.
Além da CNI, vão liderar consórcios a mexicana Nacional Financeira, que executará projetos no México e em nações da América Central, e a boliviana Câmara de Comércio, Serviços e Turismo de Santa Cruz, que trabalhará na Bolívia, Colômbia, Equador e Peru. O programa AL-Invest começou com uma fase piloto em 1994 e financiava basicamente rodadas de negócios. Nas fases seguintes, as áreas de atividades se estenderam a ações de apoio institucional aos operadores da rede até a formação e serviços de assistência técnica às pequenas e médias empresas.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.