Você percebe as oportunidades?

O executivo de um dos maiores bancos brasileiros, que mora bem próximo ao meu apartamento, sofreu um AVC há uns quatros anos. Como seqüela perdeu boa parte dos movimentos do lado direito e a dificuldade na fala, mas toda a parte cognitiva foi preservada. Graças a uma condição financeira privilegiada, teve um processo de reabilitação completo e aos poucos retornou a ter alguma independência.

Mas ele ficou feliz mesmo quando descobriu que poderia ter um carro adaptado, um veículo que poderia conduzir sozinho. A idéia representou o grito de independência, afinal, poderia passear, levar as filhas ao colégio e tudo mais o que adoramos fazer dentro de nossos carros.

O que ele não imaginava é que desenvolver a tecnologia para isso foi muito mais fácil do que ensinar vendedores e despachantes a atendê-lo. Por mais de um ano peregrinou por concessionárias e despachantes que não sabiam atender uma pessoa com deficiência ou não tinham o menor interesse. Um dos vendedores chegou a dizer que ele não poderia dirigir, enquanto a legislação e os profissionais de reabilitação diziam o contrário.

Resultado, entre carro (um belo sedã de luxo), adaptações e documentação, ele investiu cerca de 100 mil reais. O dinheiro não fez frente à felicidade que trouxe, e agora, a cada feriado novamente pode levar a família para viajar.

O exemplo deste executivo mostra o quanto o mercado de consumo ainda não percebeu os números de um nicho que cresce dia-a-dia impulsionado pelos sérios problemas de segurança e trânsito do Brasil e também graças ao desenvolvimento de novas tecnologias que unem materiais mais leves, informática e robótica.

Vamos a alguns números básicos:
· O Brasil tem cerca de 25 milhões de pessoas com deficiência;
· O mercado de reabilitação movimenta anualmente cerca de R$ 1,25 bilhão;
· Só a venda de automóveis adaptados gera R$ 400 milhões em negócios ao ano;
· Os fabricantes de cadeiras de rodas faturam cerca de R$ 100 milhões ao ano;
· Apenas no estado de São Paulo, em 2008, cerca de 80 mil deficientes estavam formalmente empregados, em 2001 eras 600;
· Segundo Censo do MEC cerca de 5 mil universitários brasileiros são deficientes;
· Dados da ONU mostram que o Brasil gera 500 novos deficientes por dia, o ranking é liderado pela violência urbana, seguida dos acidentes no trânsito;
· 42% destas vítimas têm idade entre 20 e 40 anos e são das classes A e B;

Não tenho competência para falar sobre o acesso aos serviços de reabilitação ou à maneira como as políticas de saúde pública funcionam. Minha experiência está ligada à comunicação empresarial das empresas do setor, que crescem a cada ano, sem serem percebidas pelo grande mar de profissionais de gestão e comunicação, organizações que carecem de boas práticas de administração, divulgação e atendimento.

E não para por aí, como mostrou o exemplo do executivo lá no começo de nossa conversa, ele não conseguiu ser atendido em diversas empresas. Isto significa investimento em treinamento, comunicação com o cliente, força de vendas e tudo o mais que você pode imaginar.

Ai você me pergunta: por onde começar? Eu sugiro o maior evento de tecnologia de reabilitação do Brasil e um dos três maiores do mundo, que começa nesta quinta-feira (02/04) e vai até domingo. A Reatech começou como uma pequena mostra de produtos e serviços para o mercado de reabilitação e hoje se firmou como passagem obrigatória para o profissional que deseja conhecer o que há no mercado, entender para onde este público está caminhando e, principalmente, fazer bons contatos.

No mesmo lugar você terá contato com cadeiras de rodas de última geração, os principais fabricantes de automóveis, tecnologias para comando de voz, próteses e outros acessórios. Um cardápio capaz de atrair 30 mil visitantes entre pessoas com deficiência, profissionais de reabilitação e, num número cada vez maior, pessoas ligadas a negócios desde fornecedores de matérias primas até exportadores.

Então, se liga. Quem anda no fio da navalha sabe que “sorte é quando a oportunidade chama e você responde”.

Serviço

Reatech – Feira Internacional de Tecnologias de Reabilitação
Centro de Eventos da Imigrantes – São Paulo
Quinta e Sexta – 13:00 às 21:00 horas
Sábado e Domingo – 10:00 às 19:00 horas
Transporte gratuito a partir do metrô Jabaquara
Entrada grátis


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.