Você comemora o quê em 21 de abril?

Para muita gente o feriado de amanhã será mais uma oportunidade de descansar e tomar uma geladinha, as praias já estão lotadas e ainda tem gente pegando a estrada. Mas o que chamou a atenção é que ao pesquisar sobre o 21 de abril, descobri um dia cheio de acontecimentos, alguns com repercussões mundiais, como a fundação de Roma no ano de 753 a.c. ou a fundação da capital brasileira, Brasília, em 1960.
Para os mais pessimistas, o 21 de abril lembra a morte de Tancredo Neves, o primeiro presidente eleito de forma indireta depois do regime militar, por uma infecção generalizada. Dois milhões de pessoas acompanharam o cortejo, além dos brasileiros que choravam diante da TV. Outra perda do 21 de abril é o técnico de futebol, Tele Santana que faleceu em Belo Horizonte, depois de um mês no hospital devido a uma infecção intestinal. Para os mais curiosos, o 21 de abril também marca a morte do Barão Vermelho, não a banda de rock, mas o piloto da força aérea alemã, Manfred Von Richthofen na batalha de Somme. Ele ganhou o apelido depois de abater mais de 80 caças aliados durante a I Guerra.
Entre tantas lembranças prefiro a do exemplo de Tiradentes, ou pelo menos, à que guardo na memória, pois desde que aprendi sobre a Inconfidência Mineira, já li diversas versões conflitantes, suposições sobre as motivações e até mesmo alguns retratos do alferes. Nada que abale minha confiança no valor da luta pela liberdade.
Cresci com a lembrança de que um dia, um grupo de homens nada equipados, alguns bem amadores, com poucos recursos, tentaram o impossível. Acreditaram que poderiam desafiar o gigante imperial e mais, acreditaram que poderiam se dar bem. Dos tempos de colégio até hoje, já conheci inúmeros brasileiros que também vivem este sonho. Gente que acorda cedo e a despeito da falta de recursos ou de preparo, desafia os gigantescos problemas sociais que o Brasil ainda guarda e lutam para se dar bem.
Empreendedores corajosos que unem amigos e famílias e montam seus negócios com a cara, a coragem e muitos cheques pré-datados. Alguns vão terminar como Tiradentes, derrotados pela falta de apoio e pelo tamanho do desafio. Mas outros, vão conseguir resistir ao primeiro ano onde tombam mais de 90% das empresas abertas, depois ao segundo, terceiro, quarto e quinto ano, quando então vão começar a respirar. Uns poucos vão trilhar o caminho da vitória e vão novamente servir de inspiração, serão os heróis de muitos outros brasileiros que manterão o sonho vivo.
Mais do que aos mortos, eu brindo aos vivos. Aos bravos heróis de nosso país.

Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.