A culpa é do prefeito

Você já reclamou alguma vez do governo? É mais fácil perguntar quem não reclamou, não é?
O excesso de impostos que torna a vida do brasileiro muito mais pesada, os desmandos e escândalos cada vez mais absurdos. Tudo isto deixa a política com jeito de coisa de bandido, de gente sem vergonha. E como tudo na vida, coisa ruim atrai coisa ruim. A cada eleição, mais e mais pilantras são atraídos para a vida pública.
Mas o que pouca gente sabe é que há ferramentas para a participação popular de forma a cobrar, a sugerir e participar de todas as etapas do governo. Cada cidade, por exemplo, conta com seus Conselhos Municipais seja o de Educação, Saúde, Cultura, Assistência Social, etc. São seus integrantes que cobram do prefeito a aplicação das verbas, assinam o balanço fiscal, concordam com o planejamento feito, etc.
A existência e funcionamento destes órgãos é muito importante, mas como estamos muito ocupados com nossa rotina diária, deixamos as cadeiras vazias e elas acabam ocupadas por gente de confiança. Não a minha ou a sua confiança, mas a confiança do prefeito, do vice, do vereador. Gente que está lá para balançar a cabeça como vaquinha de presépio e assinar em baixo de tudo.
As reuniões não são todos os dias, nem duram longas horas. Feitas com objetividade e clareza podem mudar a realidade de uma cidade, mostrando a importância que os Conselhos tem.
Falamos muito sobre a busca pessoal de cada um, sobre o caminho espiritual, a realização dos sonhos individuais, mas esquecemos com freqüência de que não estamos sós. Precisamos lutar também pelos sonhos coletivos. No rodapé do blog há um banner sobre a Hora do Planeta, é uma ação muito simples apagar as luzes por 60 minutos, mas imagine o seu bairro inteiro, sua cidade inteira, o país inteiro economizando eletricidade juntos…
Vamos lá, mãos-a-obra! Quem anda no Fio da Navalha é capaz de mudar o mundo.


Este artigo pertence ao Caminhando Junto Blog.
Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal.